Primeiro Simpósio Internacional sobre o
Desenvolvimento na Primeira Infância
Porto Alegre, RS, Brasil
A Influência
do Desnvolvimento na Primeira
Infância sobre a Qualidade do Capital
Humano
J. Fraser Mustard
Presidente Fundador, CIAR
March 13, 2006
03-072
CIAR
The Canadian Institute for Advanced Research
01-002
Crescimento da População
População (x 109)
6
Crescimento
Exponencial
de
Conhecimento
e
Tecnologia
4
2
Imprensa
Escrita
1. Revoluçãol
Agrícola
9AC
Início da
Revolução
Industrial
5AC
3AC3)
Ano x 10
1AC
0
1AD
2AD
Robert W. Fogel. “Economic Growth, Population Theory, and Physiology, April 1994
00-063
Histórico
Revolução Industrial e o Aumento
Populacional no Ocidente
Tom McKeown
- 25% saúde pública
- 75% nutrição melhor
Robert Fogel
- Fator principal - melhor nutrição crianças (também saúde)
-1. Infância estabelece riscos de doença crônica adultos
-> qualidade da população aumentou crescimento
econômico
05-144
Século XXI
Crescimento da população, envelhecimento
e migração
Crescimento exponencial do conhecimento
e da tecnologia
Governança local, nacional e internacional
para um mundo globalizador
Ambiente sustentável
Construindo sociedades democráticas,
pluralistas, tolerantes, prósperas e estáveis
03-080
Capital Humano
Desenvolvimento do Cérebro baseado
em experiências dos primeiros anos de
vida estabelece rotas neurológicas e
biológicas que afetam:
Saúde
Aprendizado
Comportamento
03-131
NEUROCIÊNCIA
03-013
The Hostage Brain , Bruce S. McEwen and Harold M. Schmeck, Jr., 1994.
04-039
Dois Neurônios
Axônio
NEURÔNIO
RECEPTOR
Sinapse
NEURÔNIO
EMISSOR
DE SINAL
Dendrito
04-212
Som
Visão
Olfato
Toque
Propriocepção
Paladar
Neal Halfon
03-078
Experiência e Desenvolvimento Cerebral
Estímulos no início da vida ativam rotas
genéticas que diferenciam a função dos
neurônios – períodos críticos e sensíveis.
Estímulos afetam a formação e a
estabilidade das conexões (sinapses)
entre os bilhões de neurônios (períodos
sensitivos).
Interação ambiente – gene governa
formação e estabilidade das sinapses
De estudos em humanos, macacos e ratos
04-042
VIAS
SENSITIVAS
03-079
Visão e Audição
Período Crítico
Catarata congênita evita o desenvolvimento
dos neurônios da visão no córtex ocipital
(Hubel and Wiesel)
Defeitos congênitos da cóclea afetam
o desenvolvimento da audição
(Rauschecker and O’Donoghue)
05-210
Rede de Neurônios
Sinapses
03-012
Formação de Sinapses
Nascimnto
até 3 anos
14 anos
Rethinking the Brain, Families and Work Institute, Rima Shore, 1997.
01-003
Desenvolvimento do Cérebro Humano
Formação de Sinapses
Período Sensitivo
Vias
sensoriais
(visão, audição)
-6
-3
Linguagem
3
0
Meses
Funções
Cognitivas Altas
6
9
1
4
8
12
Anos
16
IDADE
C. Nelson, in From Neurons to Neighborhoods, 2000.
03-002
Eixo
Límbico
HHA
Estímulo
Emocional
Amígdala
+
+
Hipotálamo
-
Hipocampo
-
N PV
Cortisol
Cortisol
CRF
HIP
ACTH
Córtex
Adrenal
LeDoux, Synaptic Self
05-212
Rota Límbica HHA - Estresse
Cortisol – Produção Excessiva
Comportamento, depressão, diabete,
desnutrição, doença cardiovascular, memória,
sistema imunológico, abuso de álcool e drogas
Cortisol – Produção Deficiente
Síndrome da fadiga crônica, fibromialgia,
sistema imunológico (doenças auto-imunes),
artrite reumatóide, alergias, asma
05-213
Rota do estresse Estímulos Sensoriais
Toque é Essencial na Primeira Infância
Ratos – Mães lambem a cria
Macacos – Criação p/ mãe vs outros
Humanos - Apego
03-110
Interação entre Cérebro e
Sistema Imunológio
CRF
Hipotálamo
CRF
Locus
Ceruleus
Adrenal
ACTH
Células
imunes
Hipófise
Sistema Nervoso
Simpático
Órgãos
Imunes
Função do Gene– Epigenética
EPIGENÉTICA
04-144
Epigenética e Plasticidade Cerebral
Experiência e metilação de genes
Imprints de experiências ambientais
no genoma fixo
Comportamento materno afeta
metilação do gene
Pode ser transmitido à prole
03-063
SAÚDE
00-076
Ciclo Vital e Saúde
In Utero - Barker et al
1.os anos - Power and Hertzman
Vida Adulta - Marmot et al
Embedding Biológico na 1.a Infância
04-006
Estudo Longitudinal Sueco
1. Infância e Saúde do Adulto ECD = 1. Infância
Número de eventos Adversos ECD *
0
Saúde Adulto
1
2
3
4
Razão de Chances
Geral Física
1
1.39
1.54
2.08
2.66
Circulação
1
1.56
1.53
2.91
7.76
Mental
1
1.78
2.05
3.76 10.27
* Econômicos, tamanho família, ruptura e discordância familiar
Lundberg, Soc. Sci. Med, Vol. 36, No. 8, 1993
00-069
Problemas de Saúde
Relacionados à 1. Infância
Doença Coronariana
Diabete não insulino-dependente
Obesidade
Pressão
Envelhecimento e perda memória
Saúde Mental (depressão)
Gene da Serotonina, Experiência e Depressão
Idade 26
03-089
Risco de
Depressão
.70
SS
S = Alelo Curto
L = Alelo Longo
.50
SL
.30
LL
Sem Abuso Abuso Moderado
1. Infância
Abuso grave
A. Caspi, Science, 18 July 2003, Vol 301.
04-015
Gradiente Socioeconômico e
Mortalidade – Homens, Inglaterra
140
SMR
120
100
SMR – Taxa de
Mortalidade Padronizada
80
60
I
II
III
Classe social
IV
V
01-010
Follow up de amostras sucessivas
Indicou a influência crucial da 1. infância
sobre o desenvolvimento psíquico
posterior
Acheson, Donald - Independent Inquiry into
Inequalities in Health,1998
03-065
COMPORTAMENTO
01-008
“Segundo estudos longitudinais, … a maioria
dos adolecentes com problemas anti-sociais
demonstraram estes problemas ao ingressar
na escola.
Tremblay, R . - Developmental Health and the
Wealth of Nations, 1999
02-011
“Consequências… podem ser
depressão, ansiedade, ideação suicida,
estresse pós-traumático - ou agressão,
Impulsividade, delinquência, hiperatividade
e abuso de substâncias."
Martin Teicher
Scientific American, 2002
03-115
ALFABETIZAÇÃO
04-200
Desenvolvimento 1. Infância e Linguagem
Começa cedo – 1os 12 meses
Estabelece capacidade p/ dominar
Vários idiomas
Estabelece trajetória de
Alfabetização e de linguagem
02-001
Alfabetização–
Crescimento 1. Vocabulário
Vocabulário Acumulado
1200
SES Alto
SES Médio
600
SES Baixo
0
12
16
20 24
28 32 36
B. Hart & T. Risley, Meaningful Differences in Everyday
Idade - Meses Experiences of Young American Children, 1995
02-061
Documento Alfabetização
1994 – 1998, Idade 16 a 65
Nível 1 e 2
Suécia
Canadá
Austrália
EEUU
Chile
México
23%
42%
43%
48%
85%
84%
Nível 4 e 5
34.0%
23.0%
17.0%
18.0%
3.0%
1.7%
OECD
00-085
Gradientes
Socioeconômicos
p/ documentar
escores Leitura
Suécia
Holanda
Escores médios
350
330
310
290
Média
270
Internacional
250
230
210
Canadá
Chile
190
170
0
5
10
15
20
Educação Pais (anos)
OECD
06-017
Compreensão Leitura – PISA
Idade 15
Nível
-1 e 1
Nível
4e5
Finlândia
5.7
48.1
Canadá
9.6
38.0
USA
19.4
30.1
México
52.0
4.8
Brasil
50.0
8.2
Learning for Tomorrow’s World,
OECD, 2004
05-178
Níveis Compreensão Leitura p/
População Total – USA
35
Prosa
30
Documento
25
Quantitativo
20
15
10
5
0
1
2
3
Nível
4
5
NALS, p. 17, 2002
05-173
Níveis Compreensão Leitura e Problemas Físicos, Mentais
or Outros Problemas de Saúde– USA (Quantitativo)
60
Problemas Saúde
50
Problemas Mentalis ou
Emocionais
40
Doença Crônica
30
20
10
0
1
2
3
Nível
4
5
NALS, p. 44, 2002
00-042
Escores
Socioculturais
Linguagem
p/ País
360
Cuba
320
Chile
280
Argentina
Brasil
Colômbia
240
México
200
1
4
8
12
Escolaridade Pais (anos)
16
05-066
Grau 3 Escores Linguagem
Argentina _ _ _ _ _ _ _ _
Brasil _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
Chile _ _ _ _ _ _ _ _ _
Cuba _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
México _ _ _ _ _ _ _
100
150
200
250
300
350
400
UNESCO, 1998
05-207
Expectativa Vida
(anos)
Argentina
74.1
Brasil
68.0
Chile
76.0
Cuba
76.7
México
73.3
UN Human Development Report, 2004
05-112
Dados
Estudos observacionais
Estudos transversais
Estudos longitudinais
Intervenções
05-115
Projeto Adoção Romeno – B.C.
Escores aos 10.5 Anos
CB
EA
LA
QI
108
99
85
Escore
Linguagem
106
99
88
Comportamnto
13%
9%
43%
CB - Nascido no Canadá
EA - Adotado cedo (até 4 meses)
LA - Adotado tarde (8 meses ou mais)
L. Le Mare
00-046
Aumento Cortisol Noturno por
Mês de Orfanato *
-0.2
-0.4
-0.6
-0.8
*tendência linear
-1
-1.2
0
10
20
Meses de Orfanato
30
40
50
03-005
WISC Escore Verbal 8 anos –
Baixo Peso em Centros de Atenção à 1. Infância (1 a 3)
Baixo Peso ao Nascer
16
14
12
10
8
6
4
2
0
-2
Todos
Muito baixo
Baixo
Intenção de
Tratar
350 Dias ou
Menos no Centro
400 Dias ou
Mais no Centro
Hill, Brooks-Gunn, Waldfogel. Dev. Psychol. 2003 July.
04-153
Alfabetização– Leitura
Efeito Tamanho
Primário
Pré-escola
1.2
Pré-escola &
Primário
0.8
0.4
0
Idade 8
Idade 12
Idade 15
Idade na Testagem
Idade 21
04-143
Por quê a Lacuna?
Falta de entendimento
Social/Cultural
Silos professionais e culturais
Falha na integração de
conhecimento sobre ECD and
desevolvimento humano
Custo de qualidade programas ECD
05-002
PROGRAMAS P/
DESENVOLVIMENTO DA
PRIMEIRA INFÂNCIA
Desenvolvimento 1. Infância
e Centros p/ Pais
05-029
Da concepção ao ingresso na escola
Aprender parentagem na prática
Oferecer atenção a não pais
Link com Serviços cf. necessário
Integrar com ensino fundamental
06-001
Successo de Dez
ECD
Intervenção precoce
Intervenção frequente
Intervenção efetiva
Brookings Institution
03-116
MEDINDO
RESULTADOS
03-085
Instrumento
Desenvolvimento Inicial
(EDI)
Saúde Física e bem estar
Conhecimentos e competências sociais
Saúde emocional/maturidade
Desenvolvimento cognitivo e linguagem
Capacidade comunicação e conhecimentos
gerais
02-065
Percentagem Crianças em Jardim – Escores 10% inferiores
por Distrito - Vancouver
34.5%
15%
8.5%
27.5%
21.5%
EDI, Fevereiro 2000
05-113
Vancouver
Exames 4. Série e 7. Série
Proporção de crianças que
fracassam em Exames de 4. e 7.
Séries tem correlação forte com
proporção de crianças
vulneráveis pelo índice EDI ao
ingressar na escola
05-114
CAPITAL HUMANO E
CRESCIMENTO
ECONÔMICO,
ESTABILIDADE SOCIAL,
E ECD
00-068
ECD - Integrado
Educação
Saúde
Capital
Social
Igualdade
Crescimento
Econômico
Desenvolvimento Humano
Van der Gaag, World Bank
Taxas de Retorno de Investimento em
03-074
Desenvolvimento Humano em todas idades
8
Retorno
Por
$
Investido
6
Programas Pré-Escola
Escola
4
R
Treinamento
P/ Trabalho
2
PréEscola
0
Escola
Após Escola S
6
18
Idade
Carneiro, Heckman, Human Capital Policy, 2003
02-056
Políticas para Fortalecer Capital Humano
“Não podemos nos dar ao luxo de postergar o
investimento em crianças, esperar até que se
tornem adultos, nem podemos esperar até que
ingressem na escola – então poderá ser tarde
para intervir”.
Heckman, J. 2001
(Prêmio Nobel de Economia em 2000)
06-018
Dificuldades
No mundo moderno a qualidade das
populações determinará a prosperidade
dos países.
Sabemos o que deveria ser feito.
O problema é garantir concordância e
investmento em ECD, p/ melhorar a
qualidade das futuras gerações.
01-039
www.founders.net
Bibliografia
References
1. From Early Child Development to Human Development. Editor: Mary
Eming Young, World Bank, Washington, 2000.
2. The End of Stress As We Know It. Bruce McEwen, Joseph Henry Press,
Washington, 2002.
3. Developmental Health and the Wealth of Nations. Editors: Daniel P.
Keating, Clyde Hertzman, The Guilford Press, New York, 1999.
4. From Neurons to Neighborhoods. The Science of Early Child
Development. Editors: Jack P. Shonkoff and Deborah A. Phillips, National
Academy Press, Washington, 2000.
5. Early Years Study, Final Report Reversing the Real Brain Drain. Hon.
Margaret Norrie McCain and J. Fraser Mustard, Publications Ontario,
Toronto,1999.
6. Do you Believe in Magic? Jeanne Brooks-Gunn. Social Policy Report
17(1). 2003.
7. ECD and Experience-based Brain Development: The Scientific
Underpinnings of the Importance of Early Child Development in a
Globalized World. J. Fraser Mustard. Washington: Brookings Institution.
2006. http://www.brookings.edu/views/papers/200602mustard.htm
Descargar

Antisocial Behaviour – Bullying Family Violence and Young