Alberto José de Araújo, MD, M Sc.
aspectos clínicos,
epidemiológicos e ocupacionais.
Tabagismo :
ENSP 100% LIVRE DO TABACO
RIO DE JANEIRO – 17 DE OUTUBRO DE 2007
SAGA DO FUMANTE
A cada tragada,
um pouco de fantasia,
efêmera alegria,
fumaça inalada...
entra
ainda que
no véu de
A cada expirada,
descortina-se mais a teimosia,
ainda que conheça esta avaria,
que se instala em lenta agonia...
A cada caminhada,
tenta superar esta ambivalência,
ainda que aconteça a recaída,
que valha a pena a tentativa...
A. J. Araújo, 2005
CONSIDERAÇÕES INICIAIS
• O tabaco no ciclo econômico: capitalismo,
sociedade de consumo e globalização dos
mercados.
• O cigarro como produto global, a lógica do
mercado do tabaco
• Os lucros do negócio da grande mentira
• O marketing agressivo da indústria: cinema
• A mensagem subliminar em outras formas
de publicidade
Tabaco:
das folhas à nicotina, das chamas às cinzas,
das bolhas à queratina, dos dramas às vidas perdidas...
TABAGISMO
Segundo a Organização Mundial de Saúde:
Doença pediátrica, crônica, transmissível
através da propaganda e publicidade 
Pandemia.
 Fator de risco para cerca de 50 doenças.
 Maior causa isolada evitável de mortes
precoces e morbidade em todo o mundo.
O Tabagismo é uma doença que começa na infância e
na adolescência.
Doença Pediátrica
• 90% dos fumantes
começam a fumar
antes dos 19 anos.
• Idade média de
iniciação 15 anos.
• No mundo, 100.000
jovens começam a
fumar a cada dia destes 80% vivem em
países pobres.
Doença Transmissível
• 60% dos fumantes tem
uma herança genética
para desenvolver a
dependência.
• Exposição se inicia “in
útero” e na infância.
• Pais: modelo de
comportamento.
• Mídia direcionada a
busca dos novos
“consumidores”.
Doença Crônica
O preço do
cigarro irá
aumentar em
25%.
• Caracterizada por dependência à nicotina.
• Sujeita a ciclos de remissão e recaída.
Dependência de Nicotina... Palavras do saudoso
Prof José Rosemberg (USP)
“Os fumantes têm a maior dificuldade
em abandonar o tabaco, devido à
dependência da nicotina, que é
intensa em mais de 80% dos
fumantes.
Mais de 99% dos fumantes iniciam-se
no tabagismo na adolescência,
quando os centros nervosos
receptores da nicotina não estão
completamente formados e são
altamente sensíveis à nicotina”.
1909-2005
Dependência de Nicotina... Palavras do saudoso
Prof José Rosemberg (USP)
“...Em conseqüência, desenvolvem-se os mais altos
graus de dependência, passando a consumir grande
quantidade de cigarros na idade adulta, com o maior
pico da nicotino-dependência.
Esta é geralmente mais intensa que a da cocaína,
heroína, e todas as outras drogas pesadas”.
Prof. José Rosemberg
(última entrevista ao site da empresa Viesanté, SP)
Nicotina – Droga Universal: Prof José Rosemberg:
disponível GRATUITAMENTE on-line:
www.inca.gov.br/tabagismo/publicacoes/nicotina.pdf
DEPENDÊNCIA À NICOTINA
Grupo de transtornos mentais e de
comportamento decorrente do uso
de substância psicoativa da 10ª revisão
da CID – Classificação Internacional de
Doenças – OMS, 1997:
 F 17.2 – Síndrome de Dependência à
Nicotina
 F 17.3 – Síndrome de Abstinência à
Nicotina.
ADIÇÃO
• “Adição é qualquer processo diante do
qual nos sentimos impotentes. Nos
controla, nos obriga a dizer, fazer e pensar
coisas que não estão de acordo com
nossos valores pessoais e nos leva
progressivamente a ser mais compulsivos
e obsessivos”
Anne Wilson Schaef
SUBSTÂNCIAS DA FUMAÇA
DO CIGARRO
Tabaco contém 4.720 SUBSTÂNCIAS TÓXICAS
 FASE GASOSA
Monóxido de carbono, amônia, cetonas,
formaldeído, acetaldeído, acroleína
 FASE PARTICULADA
 Arsênico, polônio 210, carbono 14,
agrotóxicos, níquel, chumbo
 Alcalóides do alcatrão: Benzopireno, cádmio,
di-benzoacridina e outras substâncias
carcinogênicas (IARC).
 Nicotina
Epidemiologia: auto de uma morte
anunciada.
• O tabaco é responsável por
milhões de mortes prematuras
a cada ano: equivale a 1/6
parte de todas as mortes.
• Os fumantes também têm um
% maior de incapacidades
devido às doenças crônicas,
assim como um maior
absenteísmo no trabalho.
• O ato de parar de fumar está
associado com uma queda na
taxa de mortalidade.
Epidemiologia: auto de uma morte
anunciada.
• O tabagismo é a principal causa de
doença, incapacidade e morte prematura
na aldeia global, com a característica de
que é evitável.
• Os dados mostram que os homens
fumantes têm uma taxa de mortalidade
global 70% maior do que a dos não
fumantes.
• A mortalidade das mulheres fumantes é
algo menor, porém segue aumentando.
• O aumento da mortalidade é medido por:
- idade em que se começa a fumar,
- no. de consumo de cigarros e
- intensidade da inalação da fumaça.
Tabagismo: uma dependência química
• O tabagismo é uma dependência à nicotina que expõe o
consumidor a mais de 4720 substâncias tóxicas presentes na
fumaça do cigarro.
• De cada 10 fumantes, sete tem tentado deixar o cigarro ao
menos uma vez em suas vidas, porém de 100 somente 3
conseguem abandonar sozinhos esta adição.
• Apesar de todo o conhecimento acumulado sobre os riscos
do tabagismo, o cigarro continua a ser comercializado como
uma droga lícita.
O TABACO é um dos
produtos mais
rentáveis do mercado
global.
Relatório da Souza Cruz: Venda de Cigarros
www.souzacruz.com.br
LUCROS DA Souza Cruz em 2005-2006.
Receita
“Esse desempenho decorre, principalmente, do posicionamento
consistente das marcas, das ações que vêm sendo desenvolvidas
pela empresa para fortalecer seu portfólio e das contínuas ações
empreendidas pelas autoridades no combate ao mercado ilegal”
Dividendos pagos a acionistas, 2007.
Até o fim de 2007, a Souza Cruz terá
acumulado R$ 7,5 bilhões pagos
em dividendos ao longo de dez anos.
• Fonte: Folha de São Paulo (17/10/07), Mercado
Aberto.
O TABACO é de todos os
produtos criados pelo
homem, o que lhe impõe
mais perdas sociais e
produtivas.
CUSTOS PARA O SUS, BRASIL - 2005
C O S T O S M E D IC O S D IR E C T O S
Ite m
E v e n to s A g u d o s
In fa rto d e M io c a rd io
A c c id e n te c e re b ro v a s c u la r
C á n c e r d e P u lm ó n *
M an ejo cró n ico (p o r u n añ o )
E n ferm ed ad co ro n aria
P o st-Accid en te cereb ro v ascu lar
E n ferm ed ad P u lm o n ar O b stru ctiv a C ró n ica
C o s to
USD
3 ,9 2 0 .9 6
3 ,0 1 0 .2 8
1 ,6 5 4 .2 4
C o sto
769.35
717.63
1.573.27
Fonte: Estudo multicêntrico sobre custos de doenças relacionadas ao tabagismo na
América Latina, Latin-INCLEN, IECS, 2007. Dados em fase de publicação (A. J. Araújo).
O TABACO não é um
bem de consumo
qualquer e deve ser
regulado pelo governo.
Convenção-Quadro da OMS
• 1º. Tratado Mundial, 2003: ratificado por maioria
absoluta dos países.
• 2º. Reconhece o tabagismo como Pandemia.
• 3º. Obriga países signatários: a impor restrições
progressivas ao plantio, comércio e consumo de
derivados tabaco.
• 4º. Adoção de medidas de apoio à cessação
• 5º. Adoção de legislação que garanta ambientes
livres de poluição tabágica ambiental.
ADIÇÃO
• “Adição é qualquer processo diante do
qual nos sentimos impotentes. Nos
controla, nos obriga a dizer, fazer e pensar
coisas que não estão de acordo com
nossos valores pessoais e nos leva
progressivamente a ser mais compulsivos
e obsessivos”
Anne Wilson Schaef
USAR TABACO NÃO É
UMA ESCOLHA
INFORMADA.
Cânceres de
Deterioração dos
dentes
Nariz, Boca e
Língua
Faringe
Laringe
Esôfago
Pulmão
Mama
Pâncreas
Útero
Rins e
Ureteres
Bexiga
Impotência
Psoríase
Doença de Buerger
Tromboangeíte
obliterante
Queda do cabelo
Catarata
Arrugas
Perda da audição
Osteoporose
Cardiopatias
Enfisema, Histiocitose X
Úlcera gástrica
Aborto
Discromia dos dedos.
Esclerose Sistêmica Progressiva
Deformação dos espermatozóides
O TABACO
PRODUZ MAIS
DE 50 DOENÇAS.
Mortes atribuíveis ao tabaco, OMS - 2000
Tabaco e risco de doenças
 A taxa de morte súbita é 2-4 vezes
mais elevada que entre os não
fumantes.
  risco de desenvolver infarto de
miocárdio (IAM) e angina instável.
 Potencializa os riscos de doença
vascular cerebral e periférica.
 Principal fator de  risco coronariano
em pacientes sofrerem IAM < 45 anos.
 Principal fator de risco para a doença
isquêmica dos membros inferiores.
 Relacionado com transtornos
sexuais, principalmente impotência e
frigidez.
DOENÇAS ASSOCIADAS
AO TABAGISMO
 Doença coronariana (25%)
 D.P.O.C. (85%)
 Câncer (30%)
 Pulmão, boca, laringe, faringe,
esôfago, pâncreas, rim, bexiga,
colo de útero, estômago e fígado
 Doença cerebrovascular (25%)
Doenças associadas ao tabagismo







Tromboangeíte
obliterante
Aterosclerose
Hipertensão arterial
Aneurisma arterial
Pneumonia
Tuberculose
Leucemia mielóide



Linfoma de Hodgkin
Catarata

Menopausa precoce
Infertilidade feminina
Disfunção erétil
Úlcera péptica

Osteoporose


Fonte: OMS, 1997; MS/INCA, 1998; Rosemberg, 2000
Tabaco e Distúrbios do Humor
• Evidências clínicas revelam que o cortisol produzido
pela tensão nervosa reduz os efeitos da nicotina,
portanto quando os fumantes habituais se encontram
sob pressão necessitam consumir maior quantidade
da substância para alcançar o mesmo efeito,
aumentando com isto a tolerância.
• A depressão do ânimo se relaciona
com a dependência da nicotina,
porém até agora se discute se a
depressão predispõe o fumante ou
se patologia é gerada durante a
dependência à nicotina.
Efeitos Cardiovasculares
• A nicotina, sobretudo ao se fumar,
exerce vários efeitos sobre o sistema
cardiovascular, incluindo:
– Aumento na freqüência cardíaca, da
pressão arterial, do volume sistólico
e do débito de fluxo sanguíneo
coronário.
– Vasiconstrição cutânea com queda
associada da temperatura cutânea,
venoconstrição sistêmica e aumento
do fluxo sanguíneo muscular.
– Aumento dos níveis circulantes de
ácidos graxos livres, glicerol e de
ácido láctico.
Efeitos na Mulher
• A mulher é especialmente
vulnerável aos efeitos da
nicotina porque a secreção
estrogênica e a função
ovariana se alteram com o
consumo de tabaco.
• É comum a menopausa
precoce e o aumento da
osteoporose nas mulheres
fumantes.
• O risco de AVC em mulheres
fumantes é maior do que nos
homens.
Tabaco e Envelhecimento Precoce
• Os fumantes têm uma queda apreciável
no rendimento para o exercício
máximo.
• O sistema imunológico é menos eficaz
comparado com os não fumantes.
• O surgimento de rugas faciais e
catarata precoces (temperatura elevada
de combustão do cigarro).
• A acne intensa nos adolescentes que
fumam.
Sinais e Sintomas de Adição à Nicotina
• Alto consumo diário de cigarros (15 ou mais por dia).
• Fumar cigarros com alta proporção de nicotina,
insatisfação ou aumento do consumo ao mudar para
os chamados "suaves“ (light).
• Inalação profunda do fumo.
• Fumar desde os primeiros 5 minutos ou primeira ½
hora do dia, ou até o momento prévio ao sono.
• Sofrer compulsão tabágica, i.e., não suportar umas
poucas horas sem fumar; interromper outras tarefas
ou entretenimentos para fumar ou comprar cigarros.
Sinais de Supressão ou Síndrome de
Abstinência à Nicotina
• Irritabilidade
• Dificuldade para
concentrar-se
• Ansiedade
• Raiva
• Aumento de peso
• Distúrbios do sono
• Fissura para fumar
(craving)
• Dor de cabeça
• Problemas digestivos
Importante:
Estes sintomas são
temporários e habitualmente não
duram mais do que 2 semanas.
Tabaco e risco de doenças
 Provoca 55 patologias, dentre elas o
câncer, DPOC, aterosclerose e DCV.
 A taxa de morte súbita é 2-4 vezes mais
elevada do que entre os não fumantes.
 Aumento do risco de IAM e angina
instável.
 Principal fator de risco coronariano nos
que sofrem IAM antes dos 45 a.
 Os riscos de sofrer DVC e periférica
são potencializados.
 Principal fator de risco para a doença
isquêmica dos MI.
 Relacionado a diversas patologias e
transtornos sexuais, principalmente
impotência e frigidez.
TABACO É UMA DOENÇA INFANTIL,
SEJA ATIVO OU PASSIVO: UMA
VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA E O
JOVEM.
Isto implica discutir seriamente
responsabilidades sociais: pais,
educadores, profissionais de saúde e
autoridades.
CONSUMIDORES HABITUAIS DE
TABACO ENTRE 13-15 ANOS
70
60
Não fumantes que querem começar a fumar em 12 meses.
50
40
30
20
10
C
hi
le
ua
N
ic
ar
ág
er
u
P
EU
U
E
du
ra
s
H
on
ic
o
M
éx
e
B
el
iz
R
ic
a
C
os
al
v
lS
E
ta
ad
o
á
m
an
a
P
te
m
G
ua
r
0
al
a
%
Fonte: Pesquisa Mundial de Tabagismo em Jovens CDC-OMS-OPS 1999/2003
Vigilância de tabagismo em
escolares do Brasil - Vigescola
USAR TABACO NÃO É
UMA ESCOLHA
RACIONAL.
UM CIGARRO CONTÉM NICOTINA E
MAIS DE 4740 SUBSTÃNCIAS QUÍMICAS
ENTRE ELAS AO MENOS 40 CANCERÍENOS E……
Removedor de esmalte de
unhas
Diluente de tinta
Veneno para baratas.
Desinfetante para pisos e
banheiros.
Conservante de cadáveres
Mara ratos.
SUBSTÂNCIAS DA FUMAÇA
DO CIGARRO
Tabaco contém 4.740 SUBSTÂNCIAS TÓXICAS
 FASE GASOSA
Monóxido de carbono, amônia, cetonas,
formaldeído, acetaldeído, acroleína
 FASE PARTICULADA
 Arsênico, polônio 210, carbono 14,
agrotóxicos, níquel, chumbo
 Alcalóides do alcatrão: Benzopireno, cádmio,
di-benzoacridina e outras substâncias
carcinogênicas (IARC).
 Nicotina
O FUMANTE IMPÕE
CUSTOS AOS NÃO
FUMANTES.
CUSTOS SOCIAIS
• O fumante não incorre em todos os custos de
sua escolha.
• Somente no caso do consumidor suportar com
todos os custos de sua decisão se alcança uma
distribuição eficiente dos recursos da sociedade
e, portanto, um nível ótimo de consumo e
responsabilidade social.
• Na prática, os fumantes impõem custos aos não
fumantes.
• Quais são estes custos? Sobretudo dois:
1. Custos sanitários atribuíveis ao tabagismo
2. Custos diretos sobre o não fumante
Tabagismo Passivo: 3a causa de morte evitável no
mundo.
Conceito: os problemas
de saúde que afetam
a terceiros que
inalam, de forma
involuntária a
fumaça ambiental do
tabaco.
Os estudos demonstram que o TP
causa câncer de pulmão e aumenta
as crises de asma, infecções
respiratórias agudas, cardiopatias e
síndrome de morte súbita infantil.
Agrava a fome, a pobreza e dificulta o
desenvolvimento sustentável
 Se concentra na população de
baixa renda e baixo nível de
escolaridade
 Prevalência maior em países em
desenvolvimento
 Dependência de nicotina leva
chefes de família deixarem de
comprar alimentos e outros
bens para comprar cigarros
 É mais barato comprar cigarros
do que comprar alimentos
Quem fuma no Mundo?
1,3 bilhão de fumantes
47% homens
12% mulheres
Países desenvolvidos
400 milhões de fumantes
42% homens
24% mulheres
Países em desenvolvimento
900 milhões de fumantes
48% homens
7% mulheres
Quem fuma no Brasil?
25 milhões de fumantes
22,7% homens
16% mulheres
Mercado Mundial de Tabaco
Consumo no Mundo
Cigarros:
-20 bilhões por dia
-7,3 trilhões por ano
Nicotina:
-200 toneladas por dia
-73 mil toneladas por ano
Estimativa de mortes anuais
relacionadas ao tabagismo
ATUAL
Países desenvolvidos
A PARTIR DE 2030
2 milhões
3 milhões
Países em desenvolvimento 3 milhões
7 milhões
TOTAL
5 milhões
Brasil:
10 milhões
200 mil
OPAS/OMS, 2003
O FUMANTE IMPÕE
CUSTOS AOS NÃO
FUMANTES.
70
JOVENS ENTRE 13-15 ANOS
FUMANTES PASSIVOS
60
50
40
30
20
10
ti
na
A
rg
en
EU
U
E
ic
o
M
éx
e
B
el
iz
ua
N
ic
ar
ág
C
os
ta
R
ic
a
al
a
te
m
á
G
ua
m
er
u
P
an
a
P
H
on
ad
o
al
v
lS
E
du
ra
s
0
r
%
Fonte: Pesquisa Mundial de Tabagismo em Jovens CDC-OMS-OPS 1999/2003
TABAGISMO PASSIVO
Aumenta entre não fumantes expostos, o risco de IAM, câncer
de pulmão e DPOC.
Crianças, filhos de pais fumantes apresentam risco aumentado
de infecções respiratórias, do ouvido médio, asma brônquica,
síndrome de mortem súbita infantil e doença cardiovascular na
idade adulta.
Reduz a capacidade respiratória em não fumantes expostos
por 20 anos, semelhante a de fumantes de 10 cigarros por dia.
Garçons não fumantes expostos apresentam chance 2 vezes
maior de câncer de pulmão.
Considerado risco ocupacional em ambientes de trabalho.
Fontes: NHMRC, 1997;OMS, 1999;
Watson e Witten, 2001
O TABACO NÃO É UM BEM DE
CONSUMO QUALQUER E
É CONSUMIDO AMPLAMENTE PELA
POPULAÇÃO.
Isto implica na adoção de políticas de restrição
do consumo, das formas dissimuladas
publicidade, pontos de venda, combate ao
comércio ilegal e implantação de ambientes
livres de tabaco.
Isto implica em ampliar as campanhas de
conscientização sobre os riscos de seguir
fumando e de prevenir a iniciação.
TABAGISMO EM MAIORES
DE 15 ANOS
Prevalência (%)
Fumantes
Homens
Mulheres
Total
Milhões
%
Ásia e Pacífico
59
4
32
401
35
Europa Leste e Asia Central
59
26
41
148
13
América Latina e Caribe
40
21
30
95
8
Oriente Médio e África Norte
44
5
25
40
3
Ásia Sul
20
1
11
86
8
Ásia Sul (extremo)
20
3
12
96
8
África Sub-saariana
33
10
21
67
6
Renda baixa-média
49
9
29
933
82
Renda alto
39
22
30
209
18
Total
47
12
29
1.142
100
Fonte: A Epidemia do tabagismo. Banco Mundial 1999
PREVALÊNCIA DE TABAGISMO
NO BRASIL (acima de 18 anos)
1989 e 2003
1989*
34,8%
35%***
2003 **
22,4%
* Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição -1989
** Pesquisa Mundial de Saúde – 2003
*** Monteiro et cols. - 2007
Redução do tabagismo
entre 1989 – 2003 (ao ano)
Brasil – 2,5%
Reino Unido – 0,8%
Estados Unidos – 0,7%
Japão – 0,6%
Consumo Anual Per capita de Cigarros no
Brasil – População > 15 anos
1980 a 2003
Consumo
PER CAPITA
Ano
1980
2003
(unidades)
1937
1131
- 42%
Brasil
1º exportador de folhas de tabaco
 2º produtor de tabaco
 Elevada arrecadação (70%)
 O cigarro brasileiro é um dos mais
baratos (6º)
Exportações de Tabaco, no mundo, em
milhões de US$, 2003.
Produtores de Tabaco, no mundo, em
milhões de toneladas, 2004.
A Cada Ano, o Tabaco no Mundo:
• Mata 8 pessoas a cada hora.
• Mata 5 Milhões de Pessoas
• Estima-se que matará 10 Milhões de Pessoas
no Ano 2020.
A Cada Ano, o Tabaco nas Américas:
• Mata 1,1 Milhões de Pessoas: 600 mil na
América Latina e Caribe.
• É responsável por 18% de todas as causas de
mortes.
A Cada Ano, o Tabaco no
Brasil:
• Ceifa 24 vidas por hora.
• É responsável direto por 200 mil óbitos/ano.
• É responsável por 20-25 % de todas as causas de
mortes.
Tabela: Mortalidade por AVC – Derrame Cerebral
Fuente: S IM , M S , 2004:
B ase P oblacional: 182.060.108 (Fuente: IB G E , 2004).
H om bres > 40 años
M ujeres > 40 años:
30.119.970
Total - P oblación > 40 años:
(30,86% )
P oblación < 40 años: (69,14% )
M uertes por AC V
Tasa de M ortalidad
44637 (50,8% )
43182 (49,2% )
87.833
3.097
171,23/100 m il
143,37/100 m il
156,32/100 m il
2,46/100 m il
O CONVÊNIO MARCO DA
OMS PARA O CONTROLE DO
TABACO É UM TRATADO
INTERNACIONAL BOM PARA
A SAÚDE E PARA A
ECONOMIA DOS PAÍSES.
Campanha da ACT br
• A Aliança de Controle do Tabagismo – ACT –
apresenta a campanha “Não seja cúmplice da
indústria do tabaco. Aceitar doações ou
parcerias ajuda a vender mais cigarros!”.
• A intenção é mostrar a organizações não
governamentais, instituições de ensino, da área
médica e à sociedade civil organizada que não
se deve aceitar dinheiro ou parceria vindo desta
indústria, a menos que se queira tornar seus
produtos legítimos e fechar os olhos para suas
ações e manipulações.
http://www.actbr.org.br/
O vento não lhe ajuda,
Se você não sabe a baía que você quer ir..
Montaigne
Pensar é fácil, fazer algo é difícil,
Mas a coisa mais difícil no mundo é fazer,
o que você pensa.
Goethe
NETT – Núcleo de Estudos e Tratamento do Tabagismo
Sala 3F87 – 3o. Andar – IDT – HUCFF – Fone: 2562.2195
[email protected]
[email protected]
Descargar

Tabaco - Fiocruz