VERDADE
E
SIGNIFICADO:
UMA
ABORDAGEM LINGUISTICO-COGNITIVA
www.nilson.pro.br
Círculo de preocupações…
• Retórica (hiper)mediática ao serviço do
poder
• Pobreza gerada pela exclusão dos
sistemas simbólicos
• Anestesia moral dos decisores políticos
– Divórcio entre Ética e Lei
– Relativismo epistemológico e cultural;
Multiculturalismo
– Desumanização da relação educativa
www.nilson.pro.br
3
Círculo de preocupações…
• Que papel para o ensino e iniciação
filosóficos, para a pedagogia do
pensamento e debate crítico de ideias, da
acção reflectida?
– Que tempo merece a iniciação à argumentação
no 10º e 11º Anos? Ensinar ou iniciar?
– Como superar o fraco domínio da Língua?
– Que ideia de sentido e de verdade subjazem à
apresentação das temáticas de Lógica, de
Epistemologia, da relação entre valores e
cultura, de Ética Pessoal e Social?
www.nilson.pro.br
4
Um ponto de partida…
• «As palavras faladas são símbolos das afecções
da alma, e as palavras escritas são símbolos
das palavras faladas. E como a escrita não é
igual em toda a parte, também as palavras
faladas não são as mesmas em toda a parte,
ainda que as afecções de alma de que as
palavras são signos primeiros, sejam idênticas,
tal como são idênticas as coisas de que as
afecções referidas são imagens».
– Aristóteles, Periérmeneias
www.nilson.pro.br
5
O triângulo de Aristóteles…
• Aristóteles, Periérmeneias
«E como a escrita não é
igual em toda a parte,
também as palavras
faladas não são as
mesmas em toda a
parte, ainda que as
afecções de alma de
que as palavras são
signos primeiros, sejam
idênticas, tal como são
P
idênticas as coisas de
Palavra
que as afecções
referidas são imagens». falada /
escrita
www.nilson.pro.br
Afecção da
Alma
A
C
significa
Coisa
6
Problemas e questões básicas
• A Verdade é acordo com as coisas, coerência
de ideias ou convenção?
• O Significado é empírica, intuitiva ou
funcionalmentemente dado?
• O significado é irrelevante para a noção de
verdade?
• A verdade é condição necessária do
significado?
• Quais as implicações filosóficas e didácticas das
respostas a estas questões?
www.nilson.pro.br
8
O triângulo filosófico
Filosofia da Mente e da Consciência
M
A
Epistemologia
Teorias do
Significado
Filosofia da
Linguagem
Metafísica
R
C
L
P
Teorias da
Verdade
www.nilson.pro.br
9
O triângulo da discórdia?
Interpretante (Peirce), Referência (Ogden-Richards),
sentido (Frege), intensão (Carnap), designatum (Morris,
1938), significatum (Morris, 1946), conceito,
significado (Saussure), comotação connotatum (Stuart
Mill), imagem mental (Saussure, Peirce), conteúdo
(Hjelmslev), estado de consciência (Buyssens)
A
C
P
Signo (Peirce), veículo sígnico (Morris),
Símbolo (Ogden-Richards), expressão
(Hjelmslev), representamen (Peirce), sema
(Buyssens), significante (Saussure)
Objecto (Frege; Peirce), Denotatum (Morris),
Significado (Frege), denotação (Russell), extensão
(Carnap)
www.nilson.pro.br
10
A Base das Teorias da Verdade
• teorias referenciais
– concepção do
significado como algo
directamente
conectado com
elementos do mundo
(e, por isso mesmo,
objectivamente
analisável em termos
de condições-deverdade através de
uma lógica formal)
• teorias conceptuais
do significado
– uma concepção do
significado como uma
entidade mental e
inevitavelmente
conectada com a
experiência humana.
www.nilson.pro.br
11
Significado e Verdade: soluções?
• Só tem significado o que é verificável
(Carnap,1928)
• O significado é irrelevante para a verdade
(Russell, 1903)
• O significado é condição necessária da
verdade (Davidson 1986)
www.nilson.pro.br
12
Uma falsa premissa oculta?
• Davidson (1984)
– Há perspectivas correntes acerca da
linguagem que encorajam uma má
epistemologia.
• O que, claro, não acontece por acidente, uma vez
que as teorias do sentido estão ligadas à
epistemologia através de esforços para responder
à questão acerca de como é que se determina que
uma frase é verdadeira.»
www.nilson.pro.br
16
LC: um método para a Filosofia?
• Davidson (1984)
– «Ao partilharmos uma linguagem… partilhamos
uma imagem do mundo que é, nas suas
características mais gerais, necessariamente
verdadeira.
– Segue-se que, ao tornarmos manifestas as
características mais gerais da nossa linguagem,
tornamos manifestas as características mais
gerais da realidade.
– Uma maneira de investigar em metafísica é, por
conseguinte, a de estudar a estrutura geral da
nossa linguagem.»
www.nilson.pro.br
17
A Linguística Cognitiva
www.nilson.pro.br
18
O que é a Linguística Cognitiva?
• A Linguística Cognitiva (LC) não é uma
única teoria da linguagem
• A Linguística Cognitiva é conjunto de
programas de investigação genericamente
compatíveis, quer em termos teóricos quer
em termos metodológicos.
www.nilson.pro.br
19
Tendências metodológicas
• Fenomenológica: introspecção; análise
teórica
• Fisicalista: método experimental (NTL)
• Empírica: métodos estatísticos; linguística
de corpus
• Biosemiótica: modelização matemática
(teoria das catástrofes) de sistemas
dinâmicos
www.nilson.pro.br
20
O que é um significado?
• Um significado consiste num conteúdo
(conceptual, perceptual, etc.) e numa forma
particular de construir, configurar esse
conteúdo.
• Significado = Base conceptual + Construal
www.nilson.pro.br
21
Caso I – Significado flexível
1. Exemplo Clássico (Frege, 1892)
–
–
–
estrela da manhã, estrela da tarde
ESTRELA DA MANHÃ, ESTRELA DA TARDE
Planeta Vénus
2. Léxico da chuva (Kimbundu, Angola)
–
–
–
–
Ixi ia nvula  TERRA DE CHUVA
Mvúla  CHUVA;
Kusonha  PINGAR, GOTEJAR, CHUVISCAR
Uaia  SOM DA CHUVA AO CAIR
www.nilson.pro.br
22
Caso I – Problemas
• Há diferentes palavras porque, por razões
de sobrevivência, os falantes
percepcionam instintivamente realidades
diferentes ou percebem realidades
distintas porque são condicionados pela
existência de diferentes palavras
(unidades significante/significado) ?
www.nilson.pro.br
25
Caso II – Significados corpóreos
1. Conceito de COR (Berlin & Kay; Rosch)
Preto
Púrpura
Amarelo
Vermelho
Azul
Castanho
Rosa
Laranja
Branco
Verde
www.nilson.pro.br
Cinzento
26
Caso II – Significados corpóreos
2. Lexicalização do espaço: esquemas
imagéticos em CORA (E. Cassad)
– 137 relações espaciais
•
•
Não são preposições, posposições, casos…
Pronomes deícticos (locativos):
a
m
u
h
i
www.nilson.pro.br
27
Caso II – Significados corpóreos
3. Metáforas espaciais (partes do corpo) em
Mixtec (L. Talmy)
–
–
Diferentes padrões de Lexicalização do espaço
Em Mixtec todas as relações espaciais são dadas
em metáforas que envolvem partes do corpo:
–
–
–
A casa está no cimo do monte / A casa está na cabeça do
monte
Espaço peripessoal: o corpo (cérebro) está
preparado para identificar o espaço perto das várias
partes do corpo.
Significado emerge das estruturas secundárias do
cérebro (mirror + cannonic neurons)
www.nilson.pro.br
28
Caso III – Argumento e metáfora
•
Um argumento é formado pelos
seguintes elementos:
1. Premissas
2. Conclusão
3. Conexão Lógica entre premissas e
conclusão
•
Exemplo:
– Se o produto X dissolve-se em água, então
X é um sal. Ora, X dissolve-se. Logo, X é
um sal.
www.nilson.pro.br
29
Caso III – Argumento e metáfora
• Conexão linguística
– Unidade e
continuidade de
sentido criada por
conectores
• Conexão lógica
– Organização e relação
das proposições entre
si de acordo com:
• Conexão psicológica
– Associação de ideias
motivada por crenças,
desejos, sentimentos,
herança cultural
www.nilson.pro.br
• Relações lógicas:
• Uma forma lógica, isto
é, um esquema que
assegura que a
verdade das premissas
garante a verdade da
conclusão.
30
Caso III – Argumento e metáfora
• Forma lógica
P1
– um esquema
que preserva a
verdade das
premissas,
passando-a para
a conclusão.
www.nilson.pro.br
P2
C
31
Caso IV – Espaço e texto
• Experiência muito simples: pedir aos
alunos que pusessem uma cruz à frente
de uma palavra (Amigo) escrita no centro
de um pedaço de papel em branco (6x4
cm, aproximadamente).
www.nilson.pro.br
32
À frente é…
www.nilson.pro.br
33
Caso IIIb
www.nilson.pro.br
34
Caso IIIb
www.nilson.pro.br
35
Ponto de Situação
• O significado é, pois, intrinsecamente
perspectivista, flexível, enciclopédico,
experiencial.
• O conhecimento do mundo é uma construção
activa, emotiva e imaginativa e não uma
reflexão fria e passiva de um mundo
objectivamente dado, havendo diferenças entre
culturas, entre grupos sociais e entre indivíduos.
• O conhecimento linguístico é mais
procedimental que declarativo
www.nilson.pro.br
40
E a verdade?
• A Verdade não é pura correspondência,
coerência ou convenção.
• A verdade também não é relativa!
– A verdade é uma modalidade de sentido
corporizado, construído e discernido de forma
imaginativa e intersubjectiva, com variações
limitadas.
– Novos arranjos de crenças compartilhadas ou
crenças inovadoras impelem a busca de
novos sentidos ou verdades.
www.nilson.pro.br
41
Conclusões
• A LC como método auxiliar para uma
Filosofia cognitivamente realista
• Natureza interpretativa e aberta da
verdade mas sem relativismo
• Revisitar Aristóteles (Lógica + Retórica)
• Textualizar é humanizar
• Projecto [email protected] – Centro de Escrita
• Projecto Vieira 2008
www.nilson.pro.br
42
Para saber mais…
Nota: para aceder aos links, abra em modo de
apresentação e clique na hiperligação.
•
Textos Introdutórios à Linguística Cognitiva
– Linguística Cognitiva – um novo paradigma?
– Linguagem, cultura e cognição – estudos de linguística cognitiva
– O Mundo dos Sentidos em Português - Polissemia, Semântica e Cognição
•
Texto interessante sobre a temática desta comunicação
– Relações linguísticas de antonímia : o insucesso da lógica e o valor da cognição
humana
•
Curso online de Linguística Cognitiva (Prof. Dra Hanna Batoréo, U. Aberta)
– Linguística II - Linguística Portuguesa: Abordagem Cognitiva
www.nilson.pro.br
43
Descargar

Verdade e Significado