O discipulado
cristão
Estudo 08
O discipulado
cristão na
Carta aos Filipenses
Texto bíblico:
Filipenses 3 e 4
(Texto JUERP / Fotos Internet)
Introdução
Antes da lição
propriamente dita,
vamos ver algumas
notas históricas que
nos ajudarão no
melhor
entendimento e
alcance da
mensagem contida
nos dois últimos
capítulos da carta.
Esta carta foi escrita aos crentes em Filipos, a primeira
cidade a que chegou Paulo quando deixou a Ásia e passou
à Europa (foto das ruinas de uma Praça em Filipos).
Filipos – Principal cidade da Macedônia - Paulo deixou a Ásia e introduziu
o Evangelho na Europa (At 16.12). Voltou a Filipos no outono de 57 a.C.
(At 20.1,2) e depois na Páscoa de 58 (At 20.6) – Vista panorâmica
Filipos / Aqui esteve preso Paulo (At 16.
24-34) Milagrosamente libertado,
batizou o carcereiro e toda sua casa
A cidade de Filipos, foi
assim nomeada em
honra ao rei Filipe II
(382 a 336 a.C). Ele
deu início ao Império
Macedônico,
conquistando a Grécia e
impondo o seu domínio a
toda região. Alexandre,
seu filho, iria consolidar
este domínio, chegando
quase à Índia. Mais
tarde em (42 a.C), ela
se tornaria a principal
colônia romana ao norte
da Grécia, na península
balcânica.
Aliás, o império iniciado por Filipe viria a se tornar um dos
maiores da Antiguidade. Dizem mesmo os historiadores que
Alexandre, seu filho, reclamava que quando se tornasse rei não
teria mais o que conquistar.
Alexander the Great
Alexandre o Grande
O Império de Alexandre
Mediterrâneo
Judá
Egito
Índia
© EBibleTeacher.com
ÍNDICE
Em Filipos
antes de sua
prisão, um
fato marcante
aconteceu.
Neste rio
(Gangas) que
banha a
cidade, ele
batizou Lídia,
a comerciante
de Tiatira que
vai hospedar
Paulo e Silas.
(At 16.1315).
Por certo, nas
proximidades deste
rio, a casa de Lídia
irá hospedar também,
como a casa do
carcereiro o
nascimento da igreja
cristã em Filipos.
(At 16.40)
É para lá que Paulo
volta, para se
despedir e prosseguir
viagem com Silas.
Filipos / Outra imagem de ruínas da
prisão na cidade onde Paulo e Silas
devem ter estado presos até que o
terremoto os libertou. (At 16. 24-34)
Voltando à prisão, foi
ao lado dela que a
comunidade cristã deve
ter se desenvolvido na
cidade de Filipos. A
casa do carcereiro
deveria ser próxima à
prisão e foi ali que
Paulo se reuniu com ele
e sua família para
convertê-los ao
Evangelho depois do
terremoto que os tirou,
a ele e Silas, da prisão
onde cantavam e
oravam.
Ruínas de avenida em Filipos
Como nas outras
cartas que temos
estudado vamos
verificar que é ao
final dela que os
conselhos do
apóstolo se tornam
em poderoso
instrumento de auxílio
para o discípulo.
Com as Bíblias
abertas, vamos à
leitura do texto e ao
seu melhor
conhecimento.
Parte I – Fp 3.1-3
Recomendações
cautelares
O crente não pode se
deixar levar pelo
entusiasmo em acolher
uma liderança por sua
simpatia, eloqüência ou
persuasão, mas sim,
confrontando seus
ensinos e exemplos
com o padrão da
Palavra de Deus.
Parte II – Fp 3.4-11
Títulos não são
Suficientes
Não pensemos que títulos
e diplomas sejam o
suficiente para indicar o
bom discipulador.
Muitas vezes na pessoa
humilde e simples vamos
encontrar os melhores
exemplos para uma vida
de bom discipulador.
Parte III – Fp 3.12-16
A caminhada cristã
exige sacrifício
O discipulador deve
demonstrar para o
discípulo que a jornada
cristã tem suas
exigências.
A persistência em
superar os obstáculos é
um dos maiores
predicados para o bom
discípulo.
Parte IV – Fp 3.17-21
O discipulador
como modelo
O zelo que o discipulador
tenha com o seu modo de
vida é que vai lhe
garantir o feito de
tornar-se modelo para os
discipulandos.
Paulo zelava por isto, a
ponto de desafiar todos
a esta busca exemplar.
Parte V – Fp 4.1-9
Alguns cuidados
essenciais
No verdadeiro viver
cristão, alguns cuidados
são fundamentais:
- Firmeza cristã;
- Alegria;
- Moderação;
- Vida de comunhão;
- Confiança;
- Vida de oração;
- A paz de Deus;
- Pureza de vida.
Esta “pureza de vida
ele destaca no texto
áureo (Fp 4.8):
“Quanto ao mais, irmãos,
tudo o que é verdadeiro,
tudo o que é honesto,
tudo o que é justo, tudo
o que é puro, tudo o que
é amável, tudo o que é
de boa fama, se há
alguma virtude, e se há
algum louvor, nisso
pensai.”
Mas no versículo
seguinte ele faz um
desafio a mim e a
você (Fp 4.9):
“O que também
aprendestes,
e recebestes,
e ouvistes,
e vistes em mim,
isso praticai,
e o Deus de paz será
convosco.”
Parte VI - (Fp 4.10-13):
Uma lição de vida
Com uma palavra de
gratidão o discipulador
ensina uma grande
verdade aos seus
discípulos:
O bom discípulo sabe que
o Senhor cuida dele e
que, mesmo diante do
maior problema o Senhor
virá ao seu encontro de
alguma forma.
Parte VII - (Fp 4.14-23):
Uma palavra de
confiança
O bom discípulo é aquele
que confia na providência
de Deus.
A recompensa divina
muitas vezes parece
tardar, mas no tempo de
Deus e não nosso ela
chega para o crente.
Vide o texto de Fp 4.19.
Conclusão
1) Títulos, cultura ou vida
espiritual? – O que é mais
importante no discipulador?
2) Quais as qualidades mais
marcantes para o líder,
segundo (4.1-9)?
3) Você teria coragem de
desafiar o seu discípulo, seu
filho, seu irmão, com as
palavras do v.9?
4) Você confia na providência
de Deus?
5) Você tem sido provado?
6) Você espera a recompensa
de Deus?
Descargar

Slide 1