46º Fórum Nacional de Reitores da ABRUEM
Levantamento Epidemiológico das
Condições de Saúde Bucal da População
de Montes Claros - MG/2008-2009
Projeto
Profa. Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins
Coordenadora
Profa. Silvia Nietsche
Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação
INTRODUÇÃO
Dados Epidemiológicos
Montes Claros
Planejamento, organização
e monitoramento de serviços
População: 363.227 habitantes
Estabelecimento
de prioridades
Alocação
de recursos
Orientação
de programas
Contribuindo para a elaboração de políticas
compatíveis com os reais problemas de
Saúde bucal de uma localidade
(OMS,
(IBGE,1997)
2009)
OBJETIVOS
 ESPECÍFICOS
 GERAL
Estimar
Produzir
informações
sobre as condições de saúde bucal da
• A distribuição
média
da cárie dentária
população e subsidiar o planejamento de ações de saúde
• A prevalência
bucal nos diferentes níveis de gestão do SUS.
– da necessidades de tratamento dentário
na perspectiva
– deContribuir
alterações gengivais
(5 anos)
–
da estruturação de um sistema de
vigilância epidemiológica em saúde bucal em Montes Claros.
da doença periodontal (12, 15-19, 35-44 e 65-74 anos)
– de oclusopatias (5, 12 e 15 anos)
– de fluorose dentária (12 e 15-19 anos)
– da necessidade e do uso de prótese (15-19, 35-44 e 65-74 anos)
– das lesões da mucosa bucal e peribucal
• Subsidiar pesquisas e planejamento de ações em saúde bucal
MÉTODOS
Parceria entre Unimontes e Prefeitura Municipal
Financiado pela FAPEMIG / PMMC
(Edital PPSUS nº005/2006)
Aprovado pelo Comitê de Ética da Unimontes
(Parecer 318/06)
Metodologia baseada no SB Brasil e OMS
Amostra probabilística aleatória simples
por conglomerados
Entrevistas e exames em idades índices e faixas etárias
MÉTODOS
3 Instrutores
Calibração
19
33examinadores
examinadores
19
20anotadores
anotadores
Treinamento
teórico
• 20 horas
Treinamento
prático
• 30 horas
• Exposição sobre
• Fixação
critérios diagnósticos
• Esclarecimentos
(OMS 1997)
• Foram utilizados
- fotografias
- formulários / exames
Coleta de dados
Cálculo da
concordância
• Foram examinados
-120 escolares
-120 adultos
1º Etapa: inter
2º Etapa : inter e intra
• Cada voluntário
- Examinado/máximo 5 x
• CCI
• Kappa
• Kappa ponderado
MÉTODOS
Programa de computador
Foi desenvolvido para agilizar coleta de dados e construção simultânea do banco
de dados em computador de mão (palmtop)
Possibilita a coleta de informações de 413 variáveis em 28 sessões
Propriedade intelectual da FAPEMIG, Unimontes e dos autores, com registro de
direitos autorais (em andamento)
Maximiza a validade da pesquisa, podendo ser considerado “inteligente”
MÉTODOS
Coleta de dados
Foram conduzidos 4509 exames e entrevistas em domicílios
PRINCIPAIS RESULTADOS
Distribuição média da cárie e desvios padrões
SBMOC
/
SBBRASIL
• 18 a 36 meses:
0,30 (± 1,10)
/
1,07 (± 2,40)
• 05 anos:
1,50 (± 2,60)
/
2,80 (± 3,49)
• 12 anos:
1,25 (± 1,67)
/
2,78 (± 3,12)
• 15 a 19 anos:
3,40 (± 3,60)
/
6,17 (± 4,82)
• 35 a 44 anos:
16,50 (± 7,50)
/
20,13 (± 7,74)
• 65 a 74 anos:
23,30 (±11,90)
/
27,79 (± 6,71)
ceo e CPOD foram menores / desvio padrão foi maior entre idosos
PRINCIPAIS RESULTADOS
Média de dentes sem necessidade de tratamento
SBMOC / SBBRASIL
• 18 a 36 meses:
16,70 / 17,11
•
5 anos:
27,37 / 18,00
• 12 anos:
25,55 / 24,17
• 15 a 19 anos:
27,43 / 24,91
• 35 a 44 anos:
21,27 / 15,13
• 65 a 74 anos:
4,25 /
4,06
Só não foi maior entre crianças de 18 a 36 meses
PRINCIPAIS RESULTADOS
Metas propostas pela OMS/FDI para o ano 2000
Idade
5 a 6 anos
12 anos
18 anos
35 a 44 anos
65 a 74 anos
Montes Claros 2009
58,80% livres de cárie (ceo-d = 0)
Metas OMS 2000
50,00% livres de cárie (ceo-d = 0)
Montes Claros 2009
CPO-D médio = 1,25
Metas OMS 2000
CPO-D médio menor que 3,0
Montes Claros 2009
84,20% com P=0 (todos os dentes presentes na
boca)
Metas OMS 2000
80,00% com P=0 (todos os dentes presentes na
boca)
Montes Claros 2009
78,00% com 20 ou mais dentes presentes na boca
Metas OMS 2000
75,00% com 20 ou mais dentes presentes na boca
Montes Claros 2009
09,30% com 20 ou mais dentes presentes na boca
Metas OMS 2000
50,00% com 20 ou mais dentes presentes na boca
Só não foi alcançada entre idosos
PRINCIPAIS RESULTADOS
Proporção de sextantes sadios (CPI)
SBMOC / SBBRASIL
• 15 a 19 anos:
84,07 /
• 35 a 44 anos:
50,42 / 31,11
• 65 a 74 anos:
7,75 /
69,17
7,00
Foram superiores em todas as faixas etárias
PRINCIPAIS RESULTADOS
Proporção de indivíduos que necessitavam de próteses
SBMOC / SBBRASIL
• 15 a 19 anos superior:
2,10 /
9,26
• 15 a 19 anos inferior:
5,60 /
23,41
• 35 a 44 anos superior:
39,90 /
35,83
• 35 a 44 anos inferior:
62,60 /
70,99
• 65 a 74 anos superior:
53,60 /
32,40
• 65 a 74 anos inferior:
63,70 /
56,06
Foi maior entre adultos e idosos
PRINCIPAIS RESULTADOS
Proporção de indivíduos com maloclusão
SBMOC / SBBRASIL
• 12 anos:
41,00% / 58,14%
• 15 a 19 anos:
31,60% / 53, 23
Foi menor
PRINCIPAIS RESULTADOS
Proporção de indivíduos com fluorose
SBMOC / SBBRASIL
• 12 anos:
46,10 /
8,56
• 15 a 19 anos:
43,80 /
5,14
Foi expressivamente maior
APLICABILIDADE NO SUS
• Proporcionou
O projeto:a capacitação de 25 CDs do serviço público:
–
para diagnóstico e possível tratamento das lesões de interesse estomatológico
Foiparticipação
um marco nae história
da epidemiologia
bucal de Montes
Claros
– –para
ou condução
de futuros levantamentos
epidemiológicos
–
•
Trata-se da mais ampla e completa pesquisa sobre a saúde bucal já empreendida no
Município
O projeto
–
Permitiu conhecer as condições de saúde bucal da população do município
– –Estimulou
a capacidade
crítica edade
planejamento
dos profissionais
Odontologia
É uma base
para a estruturação
vigilância
epidemiológica
em saúde da
bucal
inseridos no serviço público de saúde e dos alunos envolvidos
– Proporcionou aos participantes o pronto atendimento nos casos de lesões de mucosa,
– Promoveu
aproximação
da universidadecancerizável
com o serviço
de saúde
principalmente
as de comportamento
oumunicipal
o câncer bucal
•
•
O banco de dados poderá gerar outras produções científicas, permitindo
Os profissionais da área da saúde, educação, planejamento e administração,
podem utilizar os resultados da pesquisa para planejar e executar atividades de
– maior compreensão
dos fatores associados
de saúde
da população
promoção
de saúde, preventivas,
curativasàse condições
de educação
parabucal
a saúde
–
subsidiar o planejamento de futuras políticas de saúde
PRODUTOS
5 Doutorados
5 Bolsas de
Pesquisa
39
apresentações
em eventos
científicos
2 Mestrados
PRODUTOS
até o
momento
16 Iniciações
Científicas
Geração de
Registro de
direitos
autorais
39 Publicações
em anais
de eventos
2 Prêmios
CONCLUSÃO
•
Os resultados são de fácil compreensão e de interesse do público leigo e dos gestores
do serviço municipal de saúde
•
O projeto alcançou seus objetivos
•
Os dados permitiram situar o município em relação aos dados nacionais
•
Os indicadores de saúde bucal foram, em geral, melhores que os registrados no Brasil
•
Há ainda altas prevalências de doenças bucais, demandando atenção especial
•
Os resultados subsidiarão planejamentos de ações
•
O banco de dados será utilizado em pesquisas futuras
Grupo de Pesquisa Vigilância da Saúde
Coordenadora: Profa. Dra. Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins
email: [email protected]
Prof. Dr. Alfredo Mauricio Batista de Paula
Prof. Dr. André Luiz Sena Guimarães
Profa. Msa Cássia Pérola dos Anjos Braga
Profa. Msa Desirée Sant’Ana Haikal
Prof. Ms. José Mendes da Silva
Profa. Msa Marise Fagundes Silveira
Profa. Msa Tânia Coelho Rocha Caldeira
Descargar

Levantamento epidemiológico das condições de saúde