Humanidades em Medicina
Maria Amélia Ferreira
FCT - Proj 14/7/355 – Inovação Didática – Humanismo em Saúde. Uma Experiência Pedagógica
WORKSHOP ANUAL DE INOVAÇÃO E PARTILHA PEDAGÓGICA
Porto, 3 de fevereiro de 2015
Humanidades em Medicina (HUMED)
• FINALIDADE
Desenvolver o pensamento crítico e formação
integral dos estudantes, através do papel
instrumental das humanidades, como recurso para
a educação profissional nas ciências da saúde
Humanidades em Medicina (HUMED)
• Unidade Curricular multidisciplinar com visão
sobre a condição humana
• Integração novo currículo do MMED-FMUP
• HUMED como uma Unidade Curricular nuclear
1º Ano – 1º Semestre
Morfofisiologia do Aparelho Locomotor
Estrutura Molecular da Célula
Genética Molecular
(a)
9 ECTS
(b)
6 ECTS
(b)
6 ECTS
Bioestatística, Informação e Decisão em Saúde I
Humanidades em Medicina
6 ECTS
(c)
3 ECTS
(a)Área
global de Morfofisiologia dos Aparelhos e Sistemas: Inclui Anatomia, Histologia, Embriologia e Fisiologia
(b)Área
global de Dinâmica Molecular em Medicina: Inclui Biologia Celular e Molecular, Bioquímica e Genética
(c)
Inclui História da Medicina
1º Ano – 2º Semestre
Morfofisiologia do Sistema Nervoso
Dinâmica Molecular da Célula
Bioquímica do Metabolismo
(d)
(e)
(e)
9 ECTS
6 ECTS
9 ECTS
Introdução à Investigação em Saúde
3 ECTS
Saúde das Populações
3 ECTS
(d)Área
global de Morfofisiologia dos Aparelhos e Sistemas: Inclui Anatomia, Histologia, Embriologia e Fisiologia
(e)Área
global de Dinâmica Molecular em Medicina: Inclui Biologia Celular e Molecular, Bioquímica e Genética
História da
Medicina
Comunicação
Clínica
Integridade em
Investigação
Desenvolvimento
Interpessoal
Cadáver e
Educação
Médica
Antropologia
Médica
Profissionalismo
Ciclo de Vida
Integridade
Académica
Gestão de
Eventos Críticos
Cultura e
Segurança do
Doente
Erro
Objetivos
• Desenvolver o papel instrumental das
humanidades na educação dos profissionais
de saúde
• Aquisição de competências
– transversais/“transferíveis”
– humanísticas
– auto-conhecimento
– reflexão crítica e profissional
MARIA AMÉLIA FERREIRA
Licenciada pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto
(FMUP), 1978
Doutoramento pela Universidade do Porto (FMUP), 1985
Professora Catedrática da FMUP, desde 1993
“Postgraduate Diploma” em Educação Médica, U. Cardiff, 1997
Mestre em Educação Médica, 2000
Diretora do Centro de Educação Médica da FMUP, desde 2002
Diretora do Curso de Mestrado Integrado em Medicina da FMUP,
desde 2010
Prémio Educação 2011 da Fundação Calouste Gulbenkian
Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Marco de Canaveses,
desde 2012
Diretora da FMUP, desde novembro de 2014
[email protected]
AMÉLIA ASSUNÇÃO DE RINCON FERRAZ
Licenciada em Medicina e Cirurgia pela Faculdade de Medicina da
Universidade do Porto (FMUP),1985. Doutoramento pela
Universidade do Porto (FMUP), 1996. Professora Associada da
FMUP, desde 2006.
Responsável pela docência da História da Medicina na FMUP,
desde 1990/91.
Diretora do Museu de História da Medicina “Maximiano Lemos”
da FMUP, desde 1990/91.
Sócia fundadora e Secretária da Assembleia Geral da Sociedade de
História da Medicina Portuguesa, desde 1993; Delegada Nacional
de História da Medicina para a Sociedade Internacional de História
da Medicina, desde 1996; membro do Conselho de Administração
da Associação Europeia de Museus de História das Ciências
Médicas, desde 2000 e do Conselho de Administração da
Associação Portuguesa de Museologia, desde 2007.
[email protected]
HENRIQUE MANUEL NUNES DE ALMEIDA
Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade do
Porto (FMUP) em 1984 e doutorado (FMUP) em 1999.
Professor Associado da FMUP (Biologia Celular e Molecular)
desde 2002 e docente na Faculdade de Ciências da Nutrição
e Alimentação da UP.
Especialista em Ginecologia e Obstetrícia e membro do
Colégio de Ginecologia e Obstetrícia da Ordem dos Médicos.
Exerce no HCUF, Porto.
Diretor do Mestrado em Medicina e Oncologia Molecular da
FMUP.
Membro da Comissão Científica dos Programas Doutorais em
«Medicina e Oncologia Molecular» e «BioMedicina» da
FMUP.
Responsável pelo grupo de investigação «Stress & Ageing» do
Instituto de Biologia Molecular e Celular da UPorto (IBMC) e
do Departamento de Biologia Experimental da FMUP.
Membro da rede do Programa Europeu COST CM1001 (sede:
Friedrich Schiller University Jena, Alemanha).
[email protected]
FILIPE NUNO ALVES DOS SANTOS ALMEIDA
Licenciado em Medicina pela FMUP (1979)
Doutoramento pela FMUP(2005)
Diretor do Serviço de Humanização do Hospital de S. João –
E.P.E.
Presidente da Comissão de Ética para a Saúde do Centro
Hospitalar de S. João e da FMUP
Especialista em Pediatria e sub-especialista em Cuidados
Intensivos Pediátricos pela Ordem dos Médicos
Membro da CEIC (Comissão de Ética para a Investigação Clínica)
Membro da CEUP (Comissão de Ética da Universidade do Porto)
Presidente da Direção do Centro de Estudos de Bioética (CEB)
LAURA VIRGÍNIA PEREIRA TEIXEIRA RIBEIRO
Licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da
Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FMUP), 1996
Doutoramento em Biologia Humana pela Universidade do Porto
(FMUP), 2007
Professora Auxiliar da FMUP, desde 2010
Investigadora no Centro de Farmacologia e Biopatologia Química (U38
–FCT), FMUP, desde 2000
Diretora do Serviço de Relações Internacionais e Mobilidade da FMUP,
desde 2015
Coordenadora do Programa de Tutoria Académica-FMUP
PAULO CHAVES
- Licenciado em Medicina pela FMUP, 2001
- Doutoramento em Medicina, em 2009, com a Tese “Modulação da
função cardíaca pelo sistema renina-angiotensina-aldosterona e suas
implicações fisiopatológicas e terapêuticas”
- É docente da disciplina de Fisiologia da FMUP desde o ano letivo de
1999/2000 (Professor Auxiliar convidado a 30%).
- Docente do Programa Doutoral em Ciências Cardiovasculares da
FMUP e do Mestrado em Fisiopatologia Cardiovascular da FMUP.
- Especialista de Medicina Interna desde 2009, exercendo a sua
atividade profissional como elemento da Unidade de AVC do CHSJ e
da Consulta de Doenças Hereditárias do Metabolismo do Adulto do
CHSJ.
- Colaboração com a Unidade de Antropologia do Instituto de Saúde
Pública da Universidade do Porto.
CARLA SÁ COUTO
Licenciada pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto
(FCUP), 2000
Mestrado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do
Porto (FEUP), 2002
Doutoramento pela Universidade do Porto (FEUP), 2009
Coordenadora do Centro de Simulação Biomédica da FMUP,
desde 2010
Investigadora no Centro de Investigação em Tecnologias e
Sistemas de Informação em Saúde (CINTESIS), desde 2010
Membro fundador e presidente da Direção da Associação
Portuguesa de Epidermólise Bolhosa (DEBRA Portugal), desde
2010
Membro fundador e da Direção da Sociedade Portuguesa de
Simulação Aplicada às Ciências da Saúde (SPSim), desde 2011
Presidente da Comissão Científica da SPSim’13
Professora Auxiliar Convidada da FMUP, 2013
MILTON SEVERO
Licenciado em Matemática Aplicada e Computação pela Universidade de
Aveiro, 2003
Mestrado pela Faculdade de Economia da Faculdade de Economia da
Universidade do Porto (FEP), 2006
Doutoramento em Saúde Pública pela Faculdade de Medicina da
Universidade do Porto (FMUP), 2012
Investigador no Departamento de Epidemiologia Clinica, Medicina
Preditiva e Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade do
Porto (FMUP), desde 2003
Investigador e Coordenador Executivo do Gabinete de Meta-avaliação
do Centro de Educação Médica da Faculdade de Medicina da
Universidade do Porto, desde 2006
Diretor da Unidade de Health Metrics no Instituto de Saúde Pública da
Universidade do Porto (ISPUP), desde 2012
Professor Auxiliar Convidado da FMUP, 2013
[email protected]
JOSÉ NUNO SILVA
Licenciado pela Faculdade de Teologia da UCP – Porto, 1992
Mestre em Bioética Teológica, Faculdade de Teologia, UCP – Porto,
2004
Master em Pastoral da Saúde, Camillianum – Istituto
Internazionale di Teologia Pastorale Sanitaria, Roma, 2004
Pós-graduação em Antropologia Médica, FMUP, 2007
Pós-graduação em Qualidade e Humanização da Saúde, Centro de
Humanización de la Salud, Madrid, 2008
Doutorado em Bioética, com incidência na Antropologia, no
Instituto de Bioética, UCP, 2012
Coordenador da Unidade de Antropologia da Saúde do Instituto
de Saúde Pública da Universidade do Porto
Lecionação em Antropologia, Ética e Espiritualidade da Saúde em
diversas Faculdades e Escolas Superiores de Saúde
Padre Faculdade de Teologia, UCP – Porto da Diocese do Porto,
Capelão do Hospital de S. João, desde 1998
Docente Voluntário da FMUP, desde 2013
ELIZABETE LOUREIRO
Licenciada em Psicologia Clínica - Universidade do Minho,
1999
Mestre em Psicologia da Saúde pela Universidade do Minho,
2006
Técnica Superior na FMUP, desde 2002
Coordenadora Executiva do Centro de Educação Médica da
FMUP
Responsável pelo Gabinete de Apoio ao Estudante da FMUP
Estudante de Doutoramento em Biomedicina na FMUP (no
âmbito da Comunicação Clínica)
Membro do tEACH (Comité de Ensino da Associação Europeia
de Comunicação em Saúde - EACH)
Investigadora no projeto da FCT - “COSTProMed –
Communication Skills Teaching Programme in Medicine”
Docente Voluntária da FMUP, desde 2013
JOÃO PEDRO LIMA DA SILVA BRITO
Licenciado em Teologia pela Faculdade de Teologia da
Universidade Católica Portuguesa, 1992
Doutoramento em Teologia pela Pontifícia Universidade
Gregoriana (Roma), 2004
Assessor da Direção do Serviço de Humanização do CHSJ,
desde 2008
Secretário da Comissão de Ética para a Saúde do
CHSJ/FMUP, desde 2008
Membro da Comissão de Ética para a Saúde do
CHSJ/FMUP, desde 2010
Docente Voluntário da FMUP, desde 2013
Modalidades Pedagógicas
• Aulas Teóricas (todos os estudantes)
• Seminários
História da
Medicina
Comunicação
Clínica
Integridade em
Investigação
Desenvolvimento
Interpessoal
Cadáver e
Educação
Médica
Antropologia
Médica
Profissionalismo
Ciclo de Vida
Integridade
Académica
Gestão de
Eventos Críticos
Cultura e
Segurança do
Doente
Erro
Cadáver e
Educação
Médica
A dádiva da Anatomia: centralidade
do cadáver na formação médica
Erro
Médico
Fatores humanos e o erro
Antropologia
Médica
Antropologia Médica - do fenómeno
humano ao mistério da pessoa
Antropologia
Médica
Antropologia Médica - tecnociência e
paradigma humanista da medicina
Integridade
Académica
Integridade Académica: fraude em
ambiente de avaliação
Integridade
Académica
Integridade Académica: plágio
Desenvolvimen
to Interpessoal
Desenvolvimento Interpessoal
Eventos
criticos
Gestão de eventos críticos
Ciclo de vida
O ciclo de vida e os seus
condicionantes bio-socio-culturais
Integridade
em
investigação
Integridade em Investigação
Comunicação
clinica
Comunicação Clínica
Cultura de
segurança
do doente
Princípios da cultura de segurança do
doente
História da
Medicina
História da Medicina
Avaliação dos Seminários
Existem diferenças significativas na avaliação dos seminários, explicando 5% da variação total da avaliação dos
seminários (Alfa de Cronbach=0,88);
Avaliação
Tipo de avaliação
• Avaliação distribuída sem exame final
Componentes da Avaliação
• Miniteste de seminário
– 5 questões de múltipla escolha ( MCQ ) no final de cada
seminário
• Trabalho de seminário
– 4 trabalhos escolhidos entre os 12 seminários
• História da Medicina
– Teste escrito
• Assiduidade
Resultados SIGARRA
Resultados SIGARRA
Nº de Estudantes
Rácios (%)
Inscritos Avaliados Aprovados
Avaliados/ Aprovados Aprovados/
Inscritos /Inscritos Avaliados
286
275
274
96,15
95,80
99,64
Seminários de Humanidades
Volume de trabalho
Gabinete de Meta-Avaliação de Exames
Participantes
506 questionários entregues
42 (8,3%) foram excluídos por não terem frequentado a
UC selecionada neste semestre
464 questionários
13 (2,8%) foram excluídos por estar isentos
de algumas componentes de avaliação
451 questionários válidos
Métodos
• Para avaliar a perceção dos estudantes em relação ao domínio
volume de trabalho utilizaram-se as 5 perguntas sobre esse
domínio definidas no questionário “Course Experience” já
anteriormente validado
– Alfa de Cronbach = 0,82;
– Correlação com as horas totais fora de aulas = 0,40
– Correlação com o número médio de horas semanais = 0,42
• As 5 perguntas encontravam-se numa escala de concordância de
1 a 5 (1=discordo totalmente e 5=concordo totalmente)
• A pontuação final do domínio (soma de todos os itens) foi
transformada numa escala de 0 a 100 pontos
Keithia L. Wilson , Alf Lizzio & Paul Ramsden (1997): The development, validation and application of
the Course Experience Questionnaire, Studies in Higher Education, 22:1, 33-53
Perceção do volume de trabalho
P<0,001
Morfofisiologia do Aparelho
Locomotor
Estrutura Molecular da
Célula
Genética Molecular
UC
Bioestatística,
Informação e Decisão
em Saúde I
Humanidades em Medicina
Métodos
• Total de horas de estudo fora das aulas
– Soma do total de horas de estudo fora das aulas dedicado a cada
componente indicado por cada estudante
• Total das horas de estudo por semana
– Total de horas de estudo fora das aulas/20 semanas
• Total das horas de estudo esperado fora das aulas
– 65% x nº ECTS por UC x 27 horas
• A utilidade das componentes de avaliação
– Nada útil/Pouco útil vs. Útil/Muito útil
Total de horas de estudo fora das aulas por semana
(média geométrica)
P<0,001
Morfofisiologia do Aparelho
Locomotor
Estrutura Molecular da
Célula
Genética Molecular
Bioestatística,
Informação e Decisão
em Saúde I
Humanidades em Medicina
Total de horas de estudo fora das aulas estimado é de 22 horas/sem sendo que o esperado é de 26 horas/sem
Classificações finais
Média
15,0
Desvio Padrão
1,66
Min-Max
7,8 – 18,6
Aprovados
259 (99,2)
Reprovados
•
2 (0,8)
alfa de Cronbach
0,59
EPM
1,06
Inclui os estudantes que tiveram 8 presenças em seminários, realizaram 3 ou mais
trabalhos e estiveram presentes no exame de História da Medicina
Satisfação
Morfofisiologia do Aparelho
Locomotor
Estrutura Molecular da
Célula
Genética Molecular
UC
Bioestatística,
Informação e Decisão
em Saúde I
Humanidades em Medicina
Análise SWOT
• Ponto forte
– Assiduidade dos estudantes aos seminários (garantida pelos minitestes e presenças)
• Ponto Fraco
– A variabilidade explicada pelos seminários dos mini-testes
(melhoria das perguntas) e o efeito de teto das respetivas
classificações
• Oportunidade
– Melhorar a fiabilidade das diferentes avaliações, através de um
melhor entrecruzamento das matérias dos diferentes seminários
• Ameaça
– A possibilidade de ser considerada demasiado “soft-science” sem
qualquer valor para o curso de medicina por parte do estudantes,
e por parte do restante corpo docente
“Learning Outcomes”
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Promover a integração na formação médica de outras áreas de conhecimento
Valorizar a História da Medicina no desenvolvimento do conhecimento médico
Integrar a História da Medicina com atitudes sociais e de poder dominante na
sociedade/época
Identificar a mudança e a continuidade dos processos da evolução da medicina
Reconhecer a representação social/cultural da saúde na perspetiva
multidimensional e ecológica
Compreender o ciclo de vida e seus condicionantes sócio-culturais
Desenvolver a capacidade reflexiva sobre a condição humana
Promover a capacidade de comunicação
Desenvolver a prática reflexiva e profissionalismo
“Take-Home Message”
• HUMED precisa ser constantemente
reavaliada para garantir o seu lugar no
currículo, e contribuir para o aumento do
profissionalismo, desenvolvimento pessoal
e prestação humanizadora de cuidados de
saúde
Descargar

Apresentação de Maria Amélia Ferreira (FMUP)