RITA RAPOSO - PSICÓLOGA EDUCACIONAL
2013-14
índice
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
Causas do insucesso
Boas práticas parentais
Criar uma rotina de estudo
Gestão do tempo de estudo
Regras na planificação do estudo
Regras para disciplinas específicas
Condições físicas
Condições psicológicas
Memorização
Evocação
Em Tempo de Testes
As 1. CAUSAS DO INSUCESSO
Quando um aluno não tem o aproveitamento escolar desejável,
os pais tendencialmente apontam as seguintes causas:

“Os professores dos anos anteriores não prepararam convenientemente o meu
filho”

“O meu filho não estuda o que é preciso”

“O meu filho estudou, mas na altura dos testes não consegue mostrar o que
sabe”

“O meu filho tem poucas bases do 1ºciclo”

“O meu filho tem poucas capacidades”

Não faça comentários deste tipo com os seus filhos,
porque terão efeitos negativos sobre eles, como por ex.,
acreditarem realmente que não têm capacidade, e como
tal, não serão capazes.

a motivação, as capacidades intelectuais, as relações
afetivas e familiares e os professores afetam igualmente
o rendimento escolar mas, em grande parte dos casos,
prende-se com a Falta de Hábitos e Métodos de Estudo.
O sucesso escolar está diretamente
relacionado com a Implementação de
Métodos e Técnicas de Estudo.

2. BOAS PRÁTICAS PARENTAIS

O Modelo dos Pais, isto é, a aprendizagem por imitação (modelagem)
é uma das formas mais comuns de aprendizagem

como tal, os pais não devem apenas “mandar estudar”, mas sim dar o
exemplo para que o filho observe e imite o comportamento dos pais. O
seu filho está numa idade em que gosta de agradar aos pais e imitá-los
pode ser uma via positiva para os agradar.

É o caso da leitura: ter e ler jornais, revistas e livros com temas
interessantes reforçará, certamente, os hábitos de leitura do seu filho.
3. CRIAR UMA ROTINA DE ESTUDO
Apoiar os Filhos em Casa

O trabalho desenvolvido em casa é crucial para que a
aprendizagem se faça estruturada e consistentemente.
Para tal, não basta fazer os TPC, nem chega ouvir as
aulas para se obterem bons resultados.

A dedicação diária é, pois, crucial, se pretende que o seu
filho interiorize os conhecimentos.
4. Gestão do Tempo de Estudo

É frequente os pais confessarem que veem os seus filhos a
investir longas horas no estudo e não veem o seu esforço
recompensado. O que se passa é que o seu filho não
organiza o tempo de estudo.

Essa planificação passa por fazer um horário de estudo que
deve respeitar diariamente.
5. Regras na Planificação do
Estudo

Fazer a revisão da matéria dada exatamente no mesmo dia em que se teve essa disciplina, porque a
matéria ainda está bem “fresca” e presente na nossa memória;

Por cada 30 a 40 minutos para cada disciplina reservar cerca de 10 minutos de intervalo entre elas,
nomeadamente, nas tarefas que requeiram memorização;

Nos intervalos de estudo não ligar a TV. Aproveitar apenas para beber um copo de água, ir até à
janela, ao WC, …

Reservar para o início o estudo as disciplinas de maior dificuldade, em seguida as intermédias e, por
último, as mais fáceis;

Os TPC devem ser feitos antes de iniciar o estudo, pois de outro modo, o pensamento de que ainda
não estão feitos irá desviar a atenção do estudo;

Não estudar de seguida temáticas semelhantes, i.é., Matemática seguida de FQ, História seguida de
Geografia ou duas línguas;

Afixar o horário no local de estudo, no estojo ou nos cadernos;

Elaborar horários possíveis de serem cumpridos!
6. Regras para Disciplinas
Específicas

História, Português, Geografia
 Importância da leitura e dos
apontamentos
 Sublinhados da matéria mais importante
 Notas pessoais ao lado das páginas
 Resumos com palavras suas e quadros
que ajudem na concetualização e
compreensão da matéria
Regras para Disciplinas
Específicas

Matemática
 As aprendizagens dependem de
aprendizagens prévias, daí a
necessidade de compreender cada
passo:
 Esclarecer as dúvidas da aula
 Realizar exercícios práticos
Regras para Disciplinas
Específicas

Línguas Estrangeiras
 Necessidade de repetição e prática por
forma a integrar regras gramaticais e
vocabulário
 Tornar a língua estrangeira importante
para o próprio, tentando nomear objetos
e descrever ações do seu próprio
ambiente, pensar e dialogar na língua
estrangeira
7. Condições Físicas

Local Certo de Estudo

o mesmo quarto, sala, etc

Mobiliário Adequado

Mesa, cadeira não muito confortável para evitar o sono

Posição de Estudo Correta

Coluna vertebral direita, pés apoiados no solo, cabeça ligeiramente
inclinada para a frente, não sobre os livros
Temperatura Agradável (nem demasiado frio nem demasiado calor)
 Poucos Ruídos (constituem distratores difíceis de controlar)


Sem TV, rádio, CD, MP3,…

Iluminação Suficiente
8. Condições Psicológicas









O aluno deve:
resolver os seus problemas
estar relaxado
Estar sem sono
Dominar “os nervos”
Estar em boa forma física
O aluno não deve:
Estudar logo após exercício físico intenso
Estudar depois de ter comido muito
9. Memorização

A memorização surge como uma importante componente da aprendizagem sobretudo:

Quando se trata de factos que não deixam margem para associações;

Quando o material é de difícil integração para o aluno

Regras que facilitam a memorização:

Certificar-se de que compreende a matéria

Aprender com a intenção de mais tarde recordar

Aprender a organizar os factos de forma a agrupá-los por categorias

Selecionar ou criar palavras-chave para representar os factos a serem lembrados

Tirar proveito do seu tipo de memória (visual ou auditiva)
Adequar os métodos de memorização ao tipo de material:
•
palavra a palavra, nº a nº - fórmulas, datas, leis
•
Poemas, discursos, peças de teatro – repetir o conteúdo do princípio até ao fim até que se defina um padrão
familiar
•
Texto longo – dividi-lo em unidades lógicas e memorizar cada uma delas separadamente

Utilizar um sistema simples para recordar certas palavras:
escrever a palavra num lado de um cartão e do outro lado o seu significado, recomenda-se para revisões em:
•
Vocabulário técnico, fórmulas, datas históricas, vocabulário em língua estrangeira
10 . Evocação

“Obrigar” o cérebro a recordar a matéria
que esteve a memorizar através da
exposição da mesma em voz alta. Desta
forma a matéria fica retida, de facto, na
memória.
Esta é uma etapa essencial de que
os alunos se esquecem normalmente

Em tempo de testes:

Para muitos alunos o período de testes e provas globais é
vivido com extrema ansiedade. A família tem um papel muito
importante transmitindo confiança, apoio, compreensão. A
própria família deve evitar mostrar ansiedade face ao
período delicado de testes, controlando as manifestações de
preocupação. O seu filho deve contrariar a máxima “deixar
para amanhã o que posso fazer hoje” (proscrastinação),
estudando atempadamente e não guardando esta tarefa
para última hora.
RECORDE:
“Só se aprende a estudar, estudando”
“Só se aprende a ler, lendo”
“Só se aprende a escrever, escrevendo”
Bom Trabalho!
Descargar

MÉTODOS DE ESTUDO