Gestão do Ciclo de Vida
um Guia de Negócios para a Sustentabilidade
Sessão de capacitação 2 de 4
Novembro 2006
1
Gestão do Ciclo de Vida
Treinamento - Sumário
•
Introdução à GCV
– Primeira sessão
•
Como a GCV é usada na Prática
– Esta sessão!
•
Comunicando resultados de GCV
– Terceira sessão
•
GCV e Expectativas das Partes
Interessadas
–
Quarta Sessão
2
2
Objetivo de aprendizado: Entender as bases teóricas da gestão do
ciclo de vida & sua história
08.00-08.30
O que é ciclo de vida? Impactos & valores
criados ao longo do ciclo de vida de um
produto ou serviço
Definições
História
Uso
08.30-08.40
Por que a GCV é necessária nos negócios e
no governo?
Agentes
08.40-09.15
O que a GCV compreende?
Quais os aspectos únicos da GCV?
09.15-10.00
Exercício em grupo
10.00-10.30
Intervalo para café
•
Introdução à GCV
– Sessão anterior

feita
3
3
Objetivo de aprendizado: Entender os aspectos práticos
da GCV no desenvolvimento de políticas & operações de
negócios, por meio de discussões sobre como integra-la na
tomada de decisões & por meio de estudos de caso
10.30-10.45
Gestão do Ciclo de Vida
•
Como a GCV é usada na Prática
– Esta Sessão!
Definição & Benefícios
10.45-11.00
GCV envolve…
Aprendizado a partir de exemplos
11.00-12.00
Um processo para implementar GCV
Planejar – Fazer – Verificar – Ajustar
Foco no projeto
Mais exemplos ilustrativos
12.00-12.30
Exercício em grupo
12.30-13.30
Intervalo para almoço
4
4
Objetivo de aprendizado: Fornecer um bom entendimento
na comunicação de ferramentas e estratégias. Por que e
como podem ser utilizadas para avaliar os negócios?
08.00-08.15
Por que comunicar GCV? Para quem?
Definição e escopo, agentes, público
alvo da comunicação
08.15-09.00
Caixa de ferramentas da comunicação
Principais características e vínculo
com GCV
Exemplos e difusão das ferramentas
09.00-09.45
•
Comunicando os resultados da
GCV
– Terceira Sessão
Estudos de caso
Agentes setoriais específicos
Estratégias de comunicação
Combinação de ferramentas
09.45-10.00
Exercício em grupo
10.00-10.30
Intervalo para café
5
5
Objetivo de aprendizado: Entender como identificar as
partes interessadas, bem como suas prioridades &
preocupações
10.30-10.35
Por que Engajar as Partes
Interessadas?
10.35-10.45
Identificar as Partes Interessadas
Potenciais Partes Interessadas
Questionar a pessoa certa
Classificação
10.45-11.00
Importância de incluir as partes
interessadas
•
GCV e Expectativas das Partes
Interessadas
– Quarta Sessão
Evitar riscos
Criar oportunidades
11.00-11.45
Estudo de caso
11.45-12.30
Exercício em grupo
6
6
A GCV como parte das Boas Práticas
Considere as seguintes perguntas
durante esta sessão:
•
•
•
•
•
Quais são os principais obstáculos
para incorporar a GCV na
organização?
Quem na organização gostaria de
estar envolvido com a iniciativa de
GCV?
Quais as cinco áreas de impacto
das operações?
Onde estão as melhores
oportunidades para a organização
nesta área?
Quais são os maiores riscos para
a empresa e a indústria nesta
área?
7
7
INÍCIO
8
8
Gestão do Ciclo de Vida é…
… a aplicação do pensar ciclo de vida às
práticas empresariais, com o objetivo
de, sistematicamente, gerenciar os
produtos e serviços da organização
… a gestão sistemática do ciclo de vida
de produtos e materiais, para promover
padrões de produção e de consumo
que sejam mais sustentáveis do que os
atuais
…uma estrutura de gestão de conceitos,
técnicas e procedimentos, flexível e
integrada, voltada para os aspectos
ambientais, econômicos e sociais dos
produtos, procedimentos e
organizações
9
9
GCV – colocá-la em Prática
•
Objetivo
•
•
Pontos fundamentais
1.
2.
3.
4.
•
Entender os elementos fundamentais e os passos que uma
organização precisa executar para por a GCV em prática
Qualquer organização pode exercer GCV
Não há necessidade de começar pelo topo
GCV envolve todos os niveis da organização
Garanta o enfoque além das fronteiras tradicionais
Como
•
Planejar – Fazer – Conferir – Ajustar para melhorar
continuamente!
10
10
1. Qualquer organização pode aplicar a GCV
11
11
2. Não há necessidade de começar pelo topo
12
12
3. GCV envolve todos os níveis da organização
Política ambiental baseada no Ciclo de
Vida e estratégia de produto
From: Life Cycle Management - A Business Guide to Sustainability. UNEP/SETAC, 2007.
13
13
4. Olhe além das fronteiras tradicionais
Gerenciadores
de resíduos
Recicladores
Consumidores
Retalhistas
Fornecedores de
matériasprimas
Fornecedores
de
componentes
Produtores
Transportador
Gerenciamento da Cadeia de Suprimento
Materiais e Energia
Gerenciamento da Cadeia de Valores
Moeda e Informação
From: Life Cycle Management - A Business Guide to Sustainability. UNEP/SETAC, 2007.
14
14
Implementar GCV:
o ciclo Planejar-Fazer-Conferir-Agir
Agir
Agir
Conf.
Conf.
Melhoria
Contínua
Plan.
Plan.
Fazer
Fazer
From: Life Cycle Management - A Business Guide to Sustainability. UNEP/SETAC, 2007.
15
15
Implementar GCV:
o ciclo Planejar-Fazer-Conferir-Agir
ESTÁGIO UM – PLANEJAR
• Estabelecer Políticas
• Organisar
• Revisão e Pesquisa
• Estabelecer metas
Plan
16
16
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
ESTÁGIO UM – PLANEJAR
• Estabelecer Políticas
– Nível de Ambição
• Disponibilidade/comprometimento interno com a
melhoria contínua
• Melhoria no Ciclo de Vida dos produtos
• Perfil ambiental dos produtos
• Organisar
• Revisão e Pesquisa
• Estabelecer metas
Plan
17
17
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
ESTÁGIO UM - PLANEJAR
• Estabelecer Políticas
• Organisar
• Revisão e Pesquisa
• Estabelecer metas
Idéias iniciais
• Consulte todos os chefes de dep.
• Onde estão as questões
importantes
• Onde estão as oportunidades
• O que foi feito no passado
• Crie uma equipe com pessoas
interessadas
Plan
18
18
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
ESTÁGIO UM - PLANEJAR
• Estabelecer Políticas
• Organisar
• Revisão e Pesquisa
– Impactos Ambientais
– Condições de Mercado /
Comerciais
– Parceiros
Existem dois caminhos
para se perder. Um é
não saber para onde
voce está indo, o outro
não saber de onde
voce partiu
- anônimo
• Estabelecer objetivos
Plan..
19
19
ESTÁGIO UM – PLANEJAR
Revisão e Pesquisa principais impactos ambientais
Ciclo
Material
Entrada/Saíd
a
Uso de Energia
Entrada/Saída
Emissões tóxicas
Saída
Produção e Suprimento de
todos os Materiais e
Componentes
Produção própria
Distribuição
Uso
Operação
Serviços
Sistema
de Fim de
Vida
Recuperação
Disposição
20
20
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
ESTÁGIO UM – PLANEJAR
•
•
•
•
Estabelecer Políticas
Organisar
Revisão e Pesquisa
Estabelecer metas
– Relevância
– Potencial
– Influência
Plan.
21
21
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
ESTÁGIO DOIS - FAZER
• Realizar melhorias
ambientais
– Por o plano em ação
• Relatório
– Documentar as ações e
seus resultados
Fazer
22
22
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
Fazer
23
23
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
ESTÁGIO TRÊS – CONFERIR
• Avaliar
• Revisar
– revise as políticas e
estruturas organizacionais,
na medida das
necessidades
Conferir
Conferir
24
24
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
ESTÁGIO QUATRO - AGIR
• Atue. Ajuste. Melhore.
• Passe para o próximo nível.
Agir
25
25
Implementar GCV:
Planejar-Fazer-Conferir-Agir
Melhoria
contínua
26
26
Estudos de caso
27
27
Estudo de caso – Mercedes Classe S
Projeto
• Considerado todo o ciclo de vida do
carro, incluindo:
– Produção de materiais e componentes
– Vida útil de 300.000 km
– Disposição final
• Considerados 40.000 processos
individuais
• Usado o software para ACV (GaBi 4.0)
para considerar 200 parâmetros de
entrada e 300 de saída.
28
28
Estudo de caso – Mercedes Classe S
Mercedes Benz Environmental Certificate p. 16 ww.daimlerchrysler.com/Projects/c2c/channel/documents/776132_environmental_certificate_s_class_w221.pdf
29
29
Estudo de caso – Mercedes Classe S
•
•
•
•
•
Resultados
O primeiro carro com certificado
ambiental.
Supera os padrões europeus de
emissão de NOx e de hidrocarbonetos
em 85 e 75%
Melhoria na eficiência de consumo de
combustível e redução de ruído.
Uso de tintas à base de água para
reduzir as emissões de solventes.
Atende os requisitos europeus de
reciclagem, de 2006 e de 2012.
30
30
Estudo de caso – 3M
Por que a 3M está usando Gestão do Ciclo de Vida?
•
•
•
A 3M produz cerca de 500 novos produtos a cada
ano
Nos anos 90 começou a gerenciar todos os
aspectos de um produto, desde a idéia até o uso e
disposição
De acordo com o CEO da 3M
“[Gestão do Ciclo de Vida é] um compromisso que
devemos assumir para manter nossa liderança na
área ambiental e para fortalecer nossa posição
competitiva”
31
31
Estudo de caso – 3M
Como a 3M está usando a Gestão do Ciclo de
Vida?
• A 3M usa uma matriz para identificar o
impacto de produtos ou processos em todoo o
seu ciclo de vida
32
32
Estudo de caso – 3M
Como a 3M está usando Gestão do Ciclo de Vida?
• A 3M usa uma matriz para identificar o impacto de
produtos ou processos em todo o seu ciclo de vida
• Isto é utilizado para identificar riscos e oportunidades do
produto
– Riscos: perigos de um produto, grau de incerteza e
viabilidade de controle da exposição
– Oportunidades: encaminha soluções para essas
questões
33
33
Estudo de caso – BASF
•
A BASF tem a ferramenta “Análise de Sócio-Eco-Eficiência”
(SEEbalance®)l
• Eles usam a Análise de Eco-eficiência ou SEEbalance®
para:
– Decisões estratégicas sobre investimentos, produtos e
mercados.
– Comparação de locais de produção e mercados.
– Priorização de desenvolvimento e pesquisa de produto.
– Discussão com fazedores de opinião para decisões políticas.
– Marketing, apoio a clientes externos e aceitação social de
produtos.
– Para questões de comunicação, como por exemplo relatórios
de sustentabilidade da corporação.
34
34
Estudo de caso – BASF
• A aplicação da ferramenta permite à BASF a
comparação de produtos, em relação a vários
critérios.
35
35
Estudo de caso – BASF
• FPartes Interessadas de sucesso da BASF:
– Comprometimento da alta cúpula
– Combinação de ACV, CCV e aspectos sociais.
– Resultados quantitativos com uma avaliação clara.
– Ilustração simples e expressiva dos resultados.
– Possibilidade de análises de cenário e de
sensibilidade.
– Rapidez (2 meses) e baixos custos das análises
(<30,000 €).
36
36
Estudo de Caso – Gestão Verde na SONY
Estabelecimento de meta
• São estabelecidas metas de desempenho ambiental nos planos
anuais de negócios das divisões da companhia, através de
metas de longo prazo.
•
A SONY usa uma equação de eco-eficiência para monitorar os
progressos
Eco-Eficiência = Vendas / Impacto Ambiental
•
As metas incluem:
–
–
–
–
–
Redução no peso do produto
Redução no número de partes usadas
Aumento na proporção de materiais reciclados
Banimento de soldadores de mercúrio e chumbo
Uso de materiais isentos de halogênios
•
Os impactos são considerados e monitorados no seu ciclo de
vida
•
Eles tambem apoiam a responsabilidade social corporativa e
têm um código de conduta para os fornecedores
37
37
Estudo de Caso – Gestão Verde na SONY
Source: www.sony.net
38
38
Estudo de Caso – Hartmann Group
• Produz embalagens para ovos, frutas e industriais,
principalmente a partir de papel reciclado
• Vem usando Gestão de Ciclo de Vida desde 1997
• Desenvolveu e usa o “Systematic Tool for
Environmental Progress” ou STEP®-model
• Desenvolve estudos de ACV para todos os
principais produtos
– Dá uma visão geral de todos os aspectos
ambientais e conduz as decisões do negócio, do
planejamento às vendas
• Em 2006, foi introduzido um conceito de avaliação
de fornecedores
39
39
Estudo de Caso - ABB
• ABB integrou a sustentabilidade em cada aspecto de seu
negócio, incluindo:
– Desenvolvimento de produto
– Fornecedores
– Produção
– Fluxo de materiais e resíduos
40
40
Estudo de Caso – Procter & Gamble
•
•
Produz uma grande variedade de produtos, desde baterias
até alimentos
Avalia a sustentabilidade de produtos usa sua própria
ferramenta Product Sustainability Assessment Tool PSAT
– Responsabilidade social.
•
•
•
Riscos e benefícios para consumidor/sociedade.
Segurança humana.
Responsabilidades sociais ao longo da cadeia de suprimento.
– Perfil ambiental.
•
•
•
•
Segurança ambiental.
Gerenciamento de resíduos sólidos.
Eficiência de recursos.
Esforços para redução de riscos.
– Desenvolvimento econômico.
•
•
Aspectos econômicos da companhia
Aspectos econômicos de consumidor/sociedade.
41
41
Estudo de Caso – Procter & Gamble
• PSAT fornece indicadores quantitativos nas seguintes formas:
42
42
Estudo de Caso – Ciba Especialidades
Químicas
• A Ciba tem operações em 22 paises, várias delas
em Países em Desenvolvimento
• Eles mantém um padrão ambiental, de saúde e de
segurança aplicado a todas as operações,
independentemente de sua localização
• Estão cobertos aspectos tais como: direitos
humanos, trabalho infantil, propina, empregos e
saúde e segurança da comunidade, bem como
considerações padrão de Meio
Ambiente/Saúde/Segurança
• Dependendo da violação, isto pode resultar no
término de um contrato ou assistência para ajudar
um fornecedor a atingir os critérios
43
43
Estudo de Caso – Utz Kapeh Certificado de
Café Responsável
• Certifica social e ambientalmente a
origem e produção responsáveis de café
• Estabelece um conjunto de critérios para
a prática responsável e eficiente da
cultura de café incluindo:
– Ambiental: minimização e documentação
do uso de agroquímicos, gerenciamento
do uso de água e segurança do alimento
– Social: proteção de direitos trabalhistas e
acesso a cuidados com a saúde e
educação para empregados e suas
famílias
44
44
Estudo de Caso – Utz Kapeh Certificado de
Café Responsável
45
45
Estudo de Caso – Inovação Induzida pela
Sustentabilidade
Constatações
• 95% das companhias acreditam ter potencial de agregar valor;
• Cerca de 25% acreditam poder, definitivamente agregar valor;
• Este tipo de inovação está começando a oferta valor agregado,
mas os benefícios ainda são intangíveis;
• Líderes estão atualmente focando mais em oportunidades do
que apenas em riscos
• Uma pequena minoria de companhias integrou na estratégia e
no projeto de produto/processo
• Poucas companhias estão explorando oportunidades de
evolução baseadas na Inovação induzida pela Sustentabilidade
46
46
Estudo de Caso – Inovação Induzida pela
Sustentabilidade
47
47
Estudo de Caso – The Zabbaleen Cairo Egypt
• Cairo produz 10-12.000 t of resíduos/dia
• Zabbaleen coleta resíduos porta-a-porta e tem
retorno financeiro, selecionando os reclicáveis
Zabbaleens reciclam 6090% dos resíduos
Catadores contratados
reciclam apenas uma
média de 20% dos
resíduos
48
48
Estudo de Caso Study - Sayman & Danks
Acabamento de Metais
• Localizada em Durban, África do Sul
• Agentes motivadores
– Mudanças Regulatórias
– Demanda de Clientes
• Atividades
– Redução global do uso de produtos químicos
• Eliminação de substâncias tóxicas como o cromo 6
– Redução de 50% no consumo de água
– Em processo de certificação pela ISO 9000
•
Resultados
– Ganho de vantagem competitiva
– Visão do desempenho ambiental como uma oportunidade
– Tornou-se defensora da prevenção da poluição
49
49
Exercício: Refletir sobre Sua
Organização
50
50
Descreva uma iniciativa corrente
From: Life Cycle Management - A Business Guide to Sustainability. UNEP/SETAC, 2007.
51
51
Gestão do Ciclo de Vida é…
… a aplicação do pensar ciclo de vida às
práticas empresariais, com o objetivo
de, sistematicamente, gerenciar os
produtos e serviços da organização
… a gestão sistemática do ciclo de vida
de produtos e materiais, para promover
padrões de produção e de consumo
que sejam mais sustentáveis do que os
atuais
…uma estrutura de gestão de conceitos,
técnicas e procedimentos, flexível e
integrada, voltada para os aspectos
ambientais, econômicos e sociais dos
produtos, procedimentos e
organizações
52
52
Imagine uma iniciativa futura
From: Life Cycle Management - A Business Guide to Sustainability. UNEP/SETAC, 2007.
53
53
CONCLUSÃO
54
54
Exemplo: Implementação de EcoDesign em uma Companhia com
GCV
55
55
Impacto
Impacto
A Importância do Projeto
Matl.
Prod.
Produto A
Uso
EOL
Matl.
Prod.
Uso
EOL
Produto B
56
56
O estágio genérico – “Gate Development
Process”
Planejamento
Políticas e Metas
da Companhia
G
Projeto
Conceitual
G
Projeto
Detalhado
G
Teste/
Protótipo
G
Início de
Produção
G
Revisão
do produto
Atividades de Suporte
Fonte ISO/TR 14062: 2002
57
57
Eco-Design
Eco-Design se aplica para
produtos existentes ou novos
Adapte-o ao perfil do ciclo de
vida do produto em questão...
Mas também às estratégias de
negócio da companhia e à
cultura e capabilidade da
organização
58
58
Eco-Design
Avaliação Ambiental
Definição do
Produto (Sistema)
Perspectiva do Perspectiva
Ciclo de Vida do stakeholder
Ecodesign
Comunicação
Ambiental
Fonte ISO/TR 14062: 2002
59
59
Na prática – Eco-Design
Avaliação ambiental
Perspectiva doPerspectiva do
Ciclo de Vida stakeholder
Comunicação
Ambiental
Ecodesign
Impacto
Definição do
Produto (Sistema)
Matl.
Prod.
Uso
EOL
60
60
Na Prática – Eco-Design
Definição do
Produto (Sistema)
Avaliação Ambiental
Perspectiva do Perspectiva
Ciclo de Vida do stakeholder
Ecodesign
Comunicação
Ambiental
61
61
Na prática - Eco-Design
Avaliação Ambiental
Definição do
Produto (Sistema)
Perspectiva do Perspectiva
Ciclo de Vida do staleholder
Ecodesign
Comunicação
Ambiental
Bens duráveis (ex. aparelhos)
Impacto
– Conservação de energia
– Eliminação de constituintes tóxicos e
outros micro constituintes que complicam
a manutenção e upgrades
Matl.
Prod.
Uso
EOL
Descatáveis (ex. fraldas)
Impact
– Biodegradabilidade
– Eliminação de quaisquer materiais
problemáticos após sua disposição
Matl.
Prod.
Use
EOL
62
62
Na prática – Eco-Design
Avaliação Ambiental
Definição do
Produto (Sistema)
Perspectiva
Perspectiva
do Ciclo de Vidado stakeholder
Ecodesign
Comunicação
Ambiental
63
63
Gestão do Ciclo de Vida
Treinamento - Sumário
•
Introdução à GCV
– Primeira sessão
•
Como a GCV é usada na Prática
– Esta sessão!
•
Comunicando resultados de GCV
– Terceira sessão
•
GCV e Expectativas das Partes
Interessadas
–
Quarta Sessão
64
64
Descargar

DRAFT UNEP Life Cycle Management Training Kit Part II …