IDEOLOGIA, FORÇAS DE
PODER E POLÍTICA
Alunas: Dalila Assunção
Poliana Signorette
Definições :
Política:
...... a política foi inventada pelos homens
como o modo pelo qual pudessem
expressar suas diferenças e conflitos sem
transformá-los em guerra total (.....). .....
foi inventada como modo pelo qual a
sociedade, internamente dividida, discute,
delibera
e
decide
em
comum.
(Chauí,1995)
Forças de Poder
Somos todos testemunhas das grandes mudanças que, nos últimos trinta anos, afetam a
uma parcela muito ampla da vida no planeta. Grande parte dessas mudanças decorre de
uma acentuada aventura tecnológica proporcionada pela incontrolável apropriação e
inovação de conhecimentos.
Saber que parte substancial disso resulta da pesquisa e que esta é um dos produtos do
fazer acadêmico traz à tona a questão relativa aos públicos aos quais as pesquisas
científicas respondem; seja pela atuação dos pesquisadores nas ciências definidas como
duras ou naquelas afirmadas como humanas e sociais.
Sem uma reflexão maior, quase com um simples olhar de senso comum, dá para
perceber que embora os pesquisadores de um ou do outro ramo tenham, pelos seus
ideais acadêmicos originais, a melhora da condição humana como fim de seus esforços,
chegar a este alvo exige a transposição de caminhos sobre os quais percorrem com muito
maior vigor os interesses econômicos e políticos dos grupos articuladores das forças de
poder e de mando.
Como trabalhadores do saber ou da geração de máquinas, equipamentos e
organizadores da informação e de seu fluxo, todos nós, pesquisadores e gestores de
conhecimento, somos também parte do arcabouço científico e tecnológico da
humanidade, seja como cérebros (a condição que nos percebemos) seja como extensões
das máquinas que processam e difundem o conhecimento básico ou aplicado (a condição
com que os donos dos poderes nos vêem).
Sobretudo na condição de cidadãos, sobretudo na condição de financiadores da pesquisa
e da tecnologia, pelo fato da nossa aceitação em comprar a ciência e sua aplicação
embutidas em produtos e serviços, e como membros de nações que habitam territórios
definidos e constituintes de Estado, é que nós, todos nós, temos a possibilidade de
interferir nos rumos que os articuladores das forças de poder e mando pretendem impor à
Sociedade, tentando extrair algum benefício palpável.
Prof. Francisco das Chagas de Souza - Editor
Departamento de Ciência da Informação
Universidade Federal de Santa Catarina
Ideologia:
A palavra ideologia foi criada no começo do século XIX para designar uma "teoria geral das
idéias". Foi Karl Marx quem começou a fazer uso político dela quando escreveu um livro
junto com Friedrich Engels intitulado A ideologia alemã.
A divisão social do trabalho, iniciada na família, prossegue na sociedade e, à medida que
esta se torna mais complexa, leva a uma divisão ente dois tipos fundamentais de trabalho:
o trabalho material de produção de coisas e o trabalho intelectual de produção de idéias.
No início, essa segunda forma e trabalho social é privilégio dos sacerdotes; depois, tornase função de professores e escritores, artistas e cientistas, pensadores e filósofos.
Os que produzem idéias separam-se dos que produzem coisas, formando um grupo à
parte. Pouco a pouco, à medida que vão ficando cada vez mais distantes e separados dos
trabalhadores materiais, os que pensam começam a acreditar que a consciência e o
pensamento estão, em si e por si mesmos, separados das coisas materiais, existindo em si
e por si mesmos. Passam a acreditar na independência entre a consciência e o mundo
material, entre o pensamento e as coisas produzidas socialmente. Conferem autonomia à
consciência e às idéias e, finalmente, julgam que as idéias não só explicam a realidade,
mas produzem o real. Surge a ideologia como crença na autonomia das idéias e na
capacidade de as idéias criarem a realidade.
Forças Políticas Brasileiras ao longo da história
Estrutura Política: Da nação ao distrito municipal
D eputados F ederais
D eputados E staduais
A ssociações de B airro
P R E S ID E N T E
G O VE RN AD O R
P R E F E IT O
S U B P R E F E IT O
F órum C onsultivo
D E C R E T O N º 13.866 D E 26 D E F E V E R E IR O D E 2002.
V ereadores
S enadores
BARÃO GERALDO
FORÇAS DE PODER :
INTERNAS
Igreja
CDL
Unicamp
Rural
Sub-prefeitura
Sonha Barão
Associação de Bairro
Reunião Intersetorial
Fórum Consultivo
Meios de comunicação
Cooperativas de
Reciclagem
EXTERNAS
Rodhia
Campinas
Paulínia
Latifundiários
Fórum Consultivo
O Fórum Consultivo foi criado pelo decreto Nº 13.866 de 26 de fevereiro
de 2002 com o objetivo de instrumentalizar a participação da comunidade
e da sociedade civil, a partir da necessidade de se garantir a discussão e a
ampliação de parcerias entre o Poder Público e os diversos setores da
população, conforme preconizado no Plano Diretor do Município de
Campinas e no Plano Local de Gestão.
O Artigo 1° deste decreto define o fórum consultivo como uma organização
de caráter consultivo e fiscalizador, que tem por objetivo promover a
participação autônoma e organizada da comunidade no processo de
definições da política de desenvolvimento local e no acompanhamento de
sua execução.
Este órgão é composto por 21 membros efetivos e 42 suplentes,
excolhidos dentre os segmentos popular (06 representantes da
sociedade), ecológico(01 representante de entidades de defesa e controle
ambiental), empresarial (02 representantes do empresariado local),
técnico-profissional (02 representantes de entidades representativas
tecnico-profissional), institucional (01 representante do Poder Executivo
Municipal) e universitário (01 representante da UNICAMP e 01
representante da PUC-CAMP).
O mandato dos representantes do Fórum Consultivo de Barão Geraldo é
de 2 (dois) anos.
Fórum Consultivo
São funções do Fórum Consultivo:
I - elaborar seu Regimento Interno, forma de organização e representação;
II - indicar ao Executivo ou ao Legislativo municipal, ou aos dois Poderes
simultaneamente, questões específicas que requeiram tratamento
planejado;
III - apreciar e pronunciar-se sobre planos gerais e específicos que estejam
relacionados com os interesses da comunidade, no que diz respeito ao
desenvolvimento do Distrito de Barão Geraldo;
IV - articular-se com os demais Conselhos Municipais de Participação
Popular na apreciação de planos setoriais;
V - acompanhar e colaborar nos processos de discussão pública das
diretrizes do Plano Local de Gestão Urbana e dos programas nele
previstos;
VI - proceder a apreciação prévia de propostas de elaboração e de revisão
do Plano Local de Gestão Urbana;
VII - acompanhar e fiscalizar os atos do Poder Público quanto a
observância das metas e diretrizes estabelecidas pelo Plano Local de
Gestão Urbana;
Fórum Consultivo
Funções do Fórum Consultivo (Continuação):
VIII - proceder a todos os demais atos necessários ao desempenho de
suas competências em função dos objetivos a que visa;
IX - tratar de assuntos de interesse comum com entidades congêneres;
X - integrar a comissão de julgamento dos concursos públicos
previstos no Plano Local de Gestão Urbana de Barão Geraldo.
Infelizmente, segundo entrevista com o sub-prefeito Tiago Ferrari,
descobrimos que este órgão distrital é pouco estruturado e ainda
não tem uma atuação de impacto e que existe um plano para união
deste órgão com a Reunião Intersetorial na tentatriva de torná-lo
mais efetivo.
Igreja
ASSISTÊNCIA SOCIAL E AJUDA ESPIRITUAL
Captando recursos de empresas privadas, sem um apoio efetivo
das forças institucionais do distrito, a Igreja assiste comunidades
carentes através de pastorais, doação de bens necessários (gás,
cesta básica, roupas e outros), tendo sempre uma participação ativa
de seus fiéis para realização destes projetos.
Igreja Católica (Vicentinos, cestas básicas, pastoral saúde, pastoral
criança, grupo terceira idade) – 3289 1101 – (Sr. Modesto)
Igreja Presbiteriana – CESCON - 32893239 - (alfabetizacao de
adultos, artesanat, reforco escolar) 32891829 (Queila) e 3288-0596
(Pastor Shirlésio)
Igreja Batista (artesanato) – 3289 4501 (Pastor Fernando)
CDL de Barão Geraldo
A Câmara de Diretores Lojistas de Barão
Geraldo é estruturada da seguinte forma:
Presidente
Vice-presidente
1º Secretário
2º Secretário
1º Tesoureiro
2º Tesoureiro
Diretor de Aperfeiçoamento Profissional
Diretor de Relações Públicas e Propaganda e Markentig
CDL de Barão Geraldo
A Câmara dos Diretores Lojistas de Barão Geraldo foi fundada por
iniciativa de um pequeno grupo em 07 de julho de 1991 com
finalidade básica trabalhar para o progresso e desenvolvimento
comercial do Distrito de Barão Geraldo.
Os objetivos desta organização são:
- Divulgar e apoiar o comércio de Barão Geraldo, eventos e notícias
de interesse dos associados e da nossa comunidade;
- Auxiliar em estratégias que contribuam para o desenvolvimento sócio
econômico de Barão Geraldo;
- Congregar empresas de Barão Geraldo para criar um ambiente de
estímulo às atividades empresariais.
Mesmo já tendo 14 anos de existência, este grupo ainda não está
totalmente fortificado, necessita de ganhar maior corpo em sua
atuação no distrito.
CDL de Barão Geraldo
“Os benefícios da atuação do CDL não se restringem aos seus
associados, mas a toda a comunidade; pois na medida em que a
entidade participa da melhoria do nível comercial, defendendo os
interesses da livre iniciativa, traz resultados positivos não só aos
seus associados, mas principalmente
para o consumidor.”
Texto retirado do site oficial DCL de Barão Geraldo http://www.cdlbaraogeraldo.com.br/
Sonha Barão
“O Sonha Barão é um movimento, uma articulação de cidadãos e
iniciativas e tem por objetivo chamar a atenção da comunidade do
distrito de Barão Geraldo para seus muitos problemas sócioambientais e também divulgar os trabalhos e as experiências já
existentes.”
Trecho extraído do site http://www.sonhabarao.z6.com.br/
O movimento Sonha Barão é um aglutinador de forças entre a
UNICAMP e o Distrito. (Thiago Ferrari, sub-prefeito)
Associações de Bairro
Existem 74 associações de bairro em Barão Geraldo, e como o
próprio nome diz, essas organizações estão associadas, cada uma,
com um bairro do distrito. Podemos dizer que elas fazem a ligação
direta da sociedade com a subprefeitura.
Infortuitamente, apenas três destas associações são realmente
atuantes. A maior parte das outras associações funcionam somente
devido à esforços pessoais de um ou outro morador do bairro, como
nos disse a secretária de sub-prefeitura.
Entidades do Distrito
São ONGs, Cooperativas e demais entidades que contribuem para
uma sociedade baronense mais justa:
COOPERATIVA DE RECICLAVEIS
Núcleo de Ação Social – NAS (pastoral da criança, atend. Psicológico,
fonoaudiologia
Pró Menor (formação diversificada para crianças e jovens):
Meninos de Barão (formação meninos e jovens em balé, teatro,
reforço escolar
AMIC (cestas básicas, enxovais de bebê, roupas, mat. de construção):
CASA BOM PASTOR (abrigo a familiares de paciente de câncer, que
vem para tratamento em Barão)
SOBRAPAR (cirurgia deformação da face):
Gira Sonhos (resgate valores na educação e nas Artes)
BOLDRINI (hospital cancer infantil)
Grupo GAIA (defesa meio-ambiente, atendimento fitoterápico gratuito)
Fundação Sindrome de Down
NUVOHC (grupo de voluntários do HC)
Grupo de Apoio ao Animal de Rua (GAAR)
PROJETO ANHUMAS
Meios de Comunicação
Existem em Barão Geraldo jornais locais que discutem temas
abrangentes e de interesse da população baronense, como:
-
Semana 3
Imprensa escrita que circula pelo bairro.
-
Barão em Foco
Informativo on-line de Barão Geraldo
Meios de Comunicação
Há também a Rádio Muda, uma rádio comunitária criada por
universitários do Instituto de Física e Engenharia Elétrica que busca
conciliar a atuação universitária com a participação da comunidade
de Barão.
“Além de constituir um meio de comunicação em sentido estrito, adquire
atualmente o caráter de espaço cultural, proporcionando a vivência
partilhada de estudantes e pessoas da comunidade, em torno da
realização de eventos que integram, de um lado, a produção cultural
universitária (música, teatro, artes plásticas, jornais e fanzines), de outro,
a expressão dos grupos exteriores ao campus, especialmente as áreas de
periferia da região, através da cultura hip-hop. Configura-se, assim, como
um pólo aglutinador da criação artística desprovida de canais de
ressonância, permitindo a saudável convivência entre o meio universitário
e os setores excluídos da cidade. “
Trecho retirado da revista Caros Amigos em reportagem sobre a Rádio Muda
Reunião Intersetorial
Estrutura:
Esta organização é formada por um grupo de pessoas que se
reúnem sempre na última sexta-feira de cada mês para discutirem e
proporem a integração entre os segmentos da sociedade
organizada. As reuniões ocorrem sempre na "sede" de um dos
participantes. Esse grupo discute e apresenta soluções para
diversos problemas nas áreas de saúde, educação, assistência
social, cultura, esporte, lazer, geração de emprego e renda, meio
ambiente entre outros, com o objetivo de melhorar a qualidade de
vida das pessoas que moram no Distrito.
O grupo é formado por representantes das escolas, do centro de
saúde, de ONG’s, da subprefeitura, de projetos sociais, além de
agentes culturais e esportivos. Ou seja, todos aqueles que
trabalham com a população de Barão Geraldo.
Os representantes da sociedade que participam desta organização
vêem nas reuniões a possibilidade de trocarem informações e
somarem forças para viabilizar melhoria nas condições de vivência
daqueles com os quais interagem.
Subprefeitura
A Subprefeitura tem como objetivo articular as ações municipais na
região, possibilitando a integração dos diversos bairros,
racionalizando recursos, dando atendimento integral ao cidadão e
cuidando da infraestrutura do distrito.
Subprefeitura
O que se pretende para Barão Geraldo hoje :
“Deste modo, temos como metas na administração resgatar a
vocação de BG, tentando, ao mesmo tempo, acabar com os
paradoxos. Devemos resgatar e potencializar a vocação do distrito,
permitindo que, ao mesmo tempo em que se promova um
desenvolvimento no distrito, se mantenha a sua característica de
uso habitacional de boa qualidade, bem como a manutenção de
áreas rurais, preservação das áreas de qualidade paisagística e
ambiental.
Pensando nisso além de procurarmos estar em contato direto com a
comunidade e seus representantes (associações e vereadores),
estamos buscando apoio técnico na formação de conselhos
específico – conselhos de gestão (formados por empresários com
vínculo estreito em nosso distrito), conselho de cultura e meio
ambiente.
Barão Geraldo precisa repensar o seu desenvolvimento e torná-lo
sustentável, ou seja, tudo deverá ser feito para não causar grandes
traumas em sua população e no meio ambiente. Nós queremos ser
este instrumento.”
Palavras do Subprefeito Tiago Ferrari
Cooperativa de Reciclagem
A Cooperativa de Reciclagem de Barão Geraldo é formada por vinte
e uma famílias do distrito de Barão Geraldo, que dependem
exclusivamente dela para seu sustento. Ela encontra-se instalada
no bairro Real Parque desde 15 de agosto de 2002. As
Cooperativas são oportunidade de renda e emprego para a
população carente da região, além de serem uma importante forma
de conscientização sobre o reaproveitamento do lixo gerado por
todos.
O novo Programa de Coleta Seletiva foi uma conquista do Governo
Democrático e Popular que renegociou e consolidou a redução de
40 milhões de reais, incluindo a obrigatoriedade da coleta seletiva
ao longo dos quatro anos de vigência do contrato assinado na
gestão anterior com o Consórcio Ecocamp.
Cooperativa de Reciclagem
Isto cria a possibilidade de 400 postos de trabalho (com rendimento
em torno de R$ 200,00 a R$ 400,00 por trabalhador) junto às
cooperativas; podendo duplicar esses quantitativos á medida que
se potencialize a adesão da população a esse programa.
Uma contribuição valiosa para uma gestão ambientalmente e
socialmente sustentável dos resíduos sólidos urbanos, com geração
de trabalho e renda.
Dados retirados do site
http://www.campinas.sp.gov.br/ambiental/projetos_coleta_seletiva.htm
Unicamp
“A Unicamp possui um complexo de ensino e pesquisa implantado
em quase três milhões de metros quadrados de área, repleto de
edifícios, parques e gramados. Se o projeto urbanístico inicial sofreu
alterações e adaptações ao longo do tempo, permanecem intactos
os ideais primitivos da Unicamp: a vocação para a pesquisa e a
capacidade de inserção no processo de desenvolvimento nacional
que a acompanham desde sua criação pelas mãos do médico
parasitologista Zeferino Vaz (1908-1981).”
“Os esforços para tornar essa inserção social cada vez mais
profunda são observados no cotidiano da Unicamp, seja nos
laboratórios e institutos onde se desenvolvem alguns milhares de
trabalhos científicos - entre projetos tecnológicos de alta
aplicabilidade social e pesquisas no campo das ciências políticas e
sociais, da economia, da educação, da história, das letras e das
artes -, seja nos centros cirúrgicos e ambulatoriais do complexo
hospitalar do Hospital de Clínicas, nas salas de aula e nos setores
administrativos.”
Unicamp
Os trechos apresentados, extraídos do próprio site da universidade
ilustram bem a ideologia desta instituição: produzir conhecimento
científico e se inserir no cenário nacional e internacional. Contudo a
imersão na sociedade local é, ainda muito restrita. Existem alguns
poucos projetos de ajuda às comunidades carentes de Barão,
gerenciados muitas vezes por alunos, professores e que nem
sempre são apoiados pela universidade. Não se pode esquecer que
a UNICAMP oferece também uma estrutura de saúde para o distrito
através do Hospital das Clínicas.
Alguns exemplos de envolvimento social da universidade com
Barão:
Trote Solidário
Disciplina AM-018 - Trabalhos Comunitários, com atuação no
Movimento Sonha Barão
Projeto Na Escola da Vila
VEJA - Vivência Educacional de Jovens e Adultos
MAP - Movimento Abrindo Portas
Cursinho da Moradia
Unicamp
A presença da UNICAMP na sociedade baronense é intensa e
ambígua. De um lado a universidade mostra-se um centro de lazer
e cultura de fácil acesso e de outro é um dissipador de problemas
no distrito.
Unicamp
“Com a implantação da Unicamp, Barão Geraldo obedecendo o curso
normal de desenvolvimento regional se modificou radicalmente, tornandose muito acelerado. Com esse processo de desenvolvimento vieram a
poluição sonora e ambiental, devido ao aumento de trânsito de carros e
ônibus levando e trazendo pessoas de fora do Distrito ou da Cidade de
Campinas, em sua maioria estudantes ou pacientes do Hospital das
Clinicas. Vieram as republicas e moradia estudantil, aumento do comércio
para atender as necessidades no segmento latente.Vieram também a
especulação imobiliária, com aluguéis caros e condomínios de alto padrão,
causando os impactos ambientais e sociais e a elevação dos preços do
produtos e artigos praticados pelo comercio local. Barão Geraldo
simplesmente “inchou”, não cresceu de forma organizada. Sua infraestrutura viária tornou insuportável, haja vista, o trânsito lento no horário da
entrada e saída de alunos, professores e funcionários da Unicamp. Os
serviços serviços públicos prestados beiram ao caos, mas está
sobrevivendo apesar de tudo. Há bairros que nem sistemas de esgotos
possuíam, como no Bairro Cidade Universitária a pouco tempo atrás. Ainda
falta sistema de esgotos nos bairros adjacentes do Real Parque , etc.
Tornando o ditado acima: "é impossível fazer omelete sem quebrar os
ovos", pertinente a esta questão. Que saudade da vila de Barão Geraldo de
outrora, hoje, quem sabe até seria um Município , mas veio a Unicamp e ai,
ficaremos só na esperança de ...”
Vanderley A. Tonella -Morador de Barão Geraldo.
Unicamp
Quem conhece a Unicamp vai:
-
nas palestras, seminários e simpósios;
Nas quadras poliesportivas
Nas apresentações culturais (teatro, dança, música)
Na rádio muda
Nas bibliotecas estruturadas
Nas praças
Meio Rural
Abandono das terras
“Os roubos são a primeira causa do abandono da atividade rural que tem
havido em Barão”, confirma a subprefeita do distrito, Robêni Baptista da
Costa. O segundo, de acordo com Robeni, é a “favelização rural”,
expressão acunhada por ela para designar casos de proprietários de
pequenos sítios que alugam pedaços do terreno ou as casinhas destinadas
aos empregados para novos moradores. “Tiram uns 200 ou 250 reais por
cada locatário. De fato, a incerteza quanto à renda foi outro dos problemas
levantados por Semana 3.
Mau clima, aumento da concorrência ou diminuição da demanda tornam
sumamente variável o retorno financeiro do trabalho do agricultor.
A Guarda Municipal Ambiental e Rural de Campinas, que existe em alguns
bairros rurais desde 2001, ainda não age em Barão Geraldo. (Nov 2004).
Segundo o coordenador do GDR (Grupo de Desenvolvimento Rural)
a idéia é fazer um mapeamento das propriedades rurais para poder acudir
mais rapidamente aos chamados já que os sítios, geralmente, ficam em
lugares que não podem ser identificados com um endereço preciso.
Os moradores da colônia Tozan se mobilizaram por conta própria para
resolver o problema da segurança, através da participação nas reuniões
do Orçamento Participativo .
Vendas para condomínios.
Face às preocupações que os agricultores enfrentam, a venda da terra a
interessados em construir pequenos bairros ou condomínios se torna uma
tentação.
A alta valorização das terras do distrito é apontada pela ex- subprefeita de
Barão como motivo da terceira causa de abandono da atividade produtiva no
distrito: o desejo de lotear a propriedade. “O pessoal vê mais dinheiro nisso do
que na produção”, diz Robêni Baptista.
Conforme o coordenador do Grupo de Desenvolvimento Rural (GDR), Nestor
Amâncio Alves Junior, Barão Geraldo tem uma das regiões rurais em que é
mais difícil segurar o processo de urbanização. Para o agrônomo, o asfalto,
presente em vários lugares da colônia Tozan, acaba se tornando um atrativo
para quem deseja investir em construção de casas, o que eleva o preço da
terra.
Semana 3 edição 26 novembro de 2004
Descargar

IDEOLOGIA, FORÇAS DE PODER E POLÍTICA